Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Síria: Irão acusa Trump de ajudar os terroristas

Pool

Presidente iraniano, Hassan Rohani, diz que presidente norte-americano "atacou o exército sírio que luta contra o terrorismo" e exige a criação de uma "comissão independente com a presença de países neutros" para avaliar "o alegado ataque químico perpetrado" pelas forças sírias de Bashar al-Assad

O Presidente iraniano, Hassan Rohani, acusou hoje o homólogo norte-americano, Donald Trump, de ajudar os grupos "terroristas" na Síria, durante um discurso difundido pela televisão do Estado Irib. "Este senhor que conquistou o poder nos Estados Unidos pretendia combater o terrorismo, mas hoje todos os grupos terroristas na Síria festejam o ataque americano", declarou Rohani, sem, contudo, referir diretamente o nome de Trump.

Os Estados Unidos atacaram na sexta-feira uma base do exército sírio, em resposta a um alegado ataque químico, na terça-feira, contra a localidade rebelde de Khan Cheikhoun.

"Se disse a verdade [ao prometer lutar contra o terrorismo durante a campanha eleitoral americana] por que a sua primeira ação foi ajudar os terroristas? Porque atacou o exército sírio que luta contra o terrorismo?", questionou M. Rohani.

O Irão, que apoia financeiramente e militarmente o regime do presidente sírio, Bachar al-Assad, havia já condenado na sexta-feira o ataque norte-americano contra a base aérea de al-Chaayrate (centro da Síria). Rohani exigiu a criação de uma "comissão independente (...) com a presença de países neutros sobre o alegado ataque químico perpetrado".

Os responsáveis iranianos insistiram que o regime de Damasco procedeu ao desarmamento químico, não sendo este o caso - argumentaram -- dos grupos armados rebeldes jihadistas.

O Presidente Rohani, afirmou que após a "agressão" norte-americana à Síria, o Irão deve "preparar-se para qualquer eventualidade". "Não sabemos o que preparam os novos dirigentes americanos para a região", concluiu.