Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Síria. Rússia pede reunião de emergência do Conselho de Segurança

ANDREJ ISAKOVIC/GETTY IMAGES

O chefe da diplomacia russa classifica os ataques dos Estados Unidos contra a Síria “uma ameaça à segurança internacional”

A Rússia pediu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, na sequência do bombardeamento dos Estados Unidos contra a Síria.

"Nós apelamos ao Conselho de Segurança das Nações Unidas uma reunião de emergência para discutir a situação", disse o ministro dos Negócios Estrangeiros russo através de comunicado.

O chefe da diplomacia russa acrescenta que os ataques dos Estados Unidos contra a Síria constituem "uma ameaça à segurança internacional".

O Presidente russo já tinha classificado o ataque dos Estados Unidos contra uma base síria como "uma agressão" com um "pretexto inventado", e que a ação de Washington prejudica as relações entre os dois países.

Os Estados Unidos lançaram na quinta-feira um ataque com "59 mísseis" contra a base aérea de Shayrat, que está "associada ao programa" sírio de armas químicas.

  • “Um evento que pode alterar o curso da História”. Reações ao ataque dos EUA à Síria

    Donald Trump ordenou um ataque com mísseis a uma base aérea das forças sírias de Bashar al-Assad em Homs para destruir o seu arsenal, na sequência do ataque com armas químicas que, na quarta-feira, matou mais de 80 civis, incluindo dezenas de crianças. A Rússia aliada de Assad diz que o ataque "viola a lei internacional", que foi "preparado antes dos eventos em Idlib" e lançado "sob um pretexto inventado". Fallon, Hollande e Merkel apoiam a decisão dos americanos

  • Porta-voz de Putin diz que ataque dos EUA à Síria foi lançado “sob pretexto inventado”

    Bashar al-Assad ainda não reagiu ao ataque com mísseis ordenado por Donald Trump contra uma base aérea em Homs — a primeira vez que a Casa Branca dá ordens diretas para atacar as forças leais ao Presidente sírio desde o início da guerra em 2011. Moscovo fala numa "violação da lei internacional", um ataque que "viola a soberania de uma nação da ONU" e que foi "preparado antes dos eventos em Idlib"

  • EUA atacam base militar na Síria

    Ofensiva foi ordenada por Trump e surge como resposta ao ataque químico que na terça-feira matou 86 civis na Síria e que os EUA acreditam ter sido da responsabilidade do governo de Bashar al Assad, apesar deste o ter negado por várias vezes