Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Russa terá atirado corpo de filha anorética em mar de Itália

O corpo fora descoberto por pescadores dentro de uma mala próximo do porto de Rimini, a 25 de março

Foi finalmente identificada a identidade da mulher cujo corpo foi encontrado por pescadores dentro de uma mala, próximo do porto italiano de Rimini, a 25 de março. Trata-se da russa Katerina Laktionova, de 27 anos, que sofria de anorexia.

A polícia pensa que o corpo terá sido atirado ao mar pela sua mãe, após Katerina ter morrido devido à anorexia. A autópsia não indicara ter-se tratado de morte violenta.

Os media italianos referem que a mãe, Gulnara Laktionoca, de 48 anos, confessou a um amigo ter atirado o cadáver ao mar, após o ter mantido em sua casa durante pelo menos uma semana.

O amigo ouviu o seu relato depois de ter tentado contactr telefonicamente, por diversas vezes, com Guinara, preocupado por não saber nada dela nem da filha desde 10 de março, referiu ao “The Corriere Romagna”.

Katerina Laktionova estivera hospitalizada durante um curto período em Itália em 2015 e em fevereiro solicitara autorização de residência para prosseguir os seus tratamentos antianorexia, refere a agência de notícias ANSA.

A sua mãe regressou à Rússia pouco tempo depois do corpo ter sido descoberto. Aos seus advogados, indicou que o seu “mundo desabara” e que estava “de cabeça perdida”. “Eu não sei de nada. Eu não me lembro de nada. Não me estou a sentir bem da cabeça”, afirmou à estação russa NTV.