Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Notas e moedas pré-euro por trocar valem hoje 15 mil milhões

DAVID W CERNY/ REUTERS

Mais de €15 mil milhões é o valor estimado do total de notas que não foram trocadas quando a moeda única entrou circulação em 2002. Por cá, o Banco de Portugal estima que ainda faltem entregar mais de 19,5 milhões de notas de escudo, avaliadas em cerca de 155 milhões de euros

Miguel Rebocho Pais

O valor do numerário antigo que não chegou a ser trocado pela nova moeda é superior a 15 mil milhões de euros, segundo dados dos bancos centrais da zona euro recolhidos pela agência Bloomberg. Os alemães foram quem mais guardou, estimando-se em 6500 milhões de euros o valor por trocar de marcos, a antiga moeda do país. A Alemanha não tem qualquer prazo limite para os marcos serem trocados junto do banco central. Na lista de “esquecimento” seguem-se os francos franceses e a peseta.

Portugal ocupa o décimo lugar na lista da Bloomberg. O boletim estatístico de abril do Banco de Portugal (BdP) revela existência de mais de 19,5 milhões de notas de escudo por trocar. O seu valor supera os 155 milhões de euros.

As notas de 500 escudos (cerca de €2,5) representam o maior volume por trocar, estimando-se que os portugueses tenham guardado mais de oito milhões de notas, no valor de dois milhões de euros. Em termos de valor, são as antigas notas de 5000 (cerca de €25) escudos que ocupam a primazia estimando-se que mais de 2,1 milhões ainda estejam por trocar, num valor que ronda cerca de 53 milhões de euros.

12 dos 19 países que adotaram o euro já não permitem a troca de moedas antigas. É o caso de Portugal, onde a troca de moedas de escudo terminou no fim de 2002, ano em que se introduziu o euro. As notas antigas podem ser trocadas nas tesourarias do BdP até ao final de fevereiro de 2022, vinte anos após a entrada em circulação da moeda única. Existem no entanto excepções para algumas séries de notas, cujo prazo para troca termina no início do próximo ano.