Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Deputado malaio defende casamento com violador para vítima se proteger de um “futuro sombrio”

TENGKU BAHAR

Numa intervenção polémica no Parlamento, Shabudin Yahaya considerou também que aos nove anos uma rapariga está “física e espiritualmente” pronta para se casar

Um deputado malaio e ex-juíz defendeu esta semana no Parlamento o casamento das vítimas de violação com os seus agressores, considerando-o uma forma de se “protegerem de um futuro sombrio”.

Numa intervenção polémica, Datuk Shabudin Yahaya reconheceu que a violação é um crime, mas considerou que o matrimónio pode ser uma forma de “abrir uma nova página” e acabar com “os problemas sociais” daí decorrentes.

No Parlamento da Malásia discutia-se um projeto de lei sobre delitos sexuais contra menores, que foi aprovado, embora não tenha ficado proibido o matrimónio infantil.

Para Shabudin Yahaya, aos nove anos as meninas estão “física e espiritualmente” prontas para se casar. “Chegam à puberdade aos 9 ou 12 anos, altura em que o seu corpo já se assemelha ao que terão aos 18 anos”, afirmou, o que provocou uma onda de indignação nas redes sociais. Alguns políticos da oposição exigiram mesmo que o deputado seja afastado.

De acordo com a nova lei, foi aprovada a criação de um tribunal especial para julgar os casos de abusos sexuais contra crianças, cuja moldura penal pode chegar aos 30 anos de prisão e seis chicotadas.