Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Turquia afasta mais 45 juízes e procuradores

Um dos juízes absolvera há menos de uma semana 21 arguidos acusados de pertencerem à rede que tentou efetuar um golpe de Estado em julho. No total já foram afastados mais de quatro mil membros do sistema judiciário

Mais 45 juízes e procuradores envolvidos nos casos relacionados com a tentativa de golpe de Estado de julho de 2016 na Turquia foram afastados na segunda-feira, segundo noticiou a agência de notícias estatal Anadolu.

No total as autoridades turcas já detiveram, demitiram ou dispensaram mais de 113 mil pessoas, entre polícias, membros das forças armadas, funcionários públicos e judiciários, entre outros, em sequência da tentativa de golpe que o regime de Ancara diz ter sido orquestrado por Fethullah Gulen, o clério islâmico que se encontra desde 1999 a residir nos Estados Unidos. Só do sistema judiciário já foram afastados cerca de quatro mil funcionários.

Um juiz que há menos de uma semana absolvera 21 de 29 arguidos acusados de pertencerem à rede de Gulen nos media é um dos afastados, assim como um outro funcionário envolvido no caso, refere ainda a agência Anadolu.

Entre os arguidos encontravam-se supostos administradores da conta no Twitter de um denunciador que se apresenta sob o pseudónimo Fuat Avni, assim como jornalistas.

Gulen sempre negou a acusação de ter orquestrado a tentativa de golpe.

Diversos grupos de direitos humanos, assim como potências ocidentais têm acusado o Presidente Tayyip Erdogan de estar a usar a tentativa de sublevação para neutralizar os seus opositores.