Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Oito mortos numa operação militar turca contra rebeldes curdos

A explosão de uma bomba atribuída aos independistas curdos do PKK durante uma ação do exército da Turquia feriu ainda cinco soldados

Miguel Rebocho Pais

No decorrer de uma operação do exército turco contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, independentista), morreram oito pessoas devido à detonação de uma bomba pelo PKK, denunciou esta terça-feira o governador da província de Sirnak, onde decorreu a operação militar. Citado pela agência Reuters, confirmou que três dos mortos eram soldados e cinco eram rebeldes. Ficaram ainda feridos cinco militares turcos.

A explosão ocorreu esta terça-feira, segundo a agência noticiosa turca Anadolu. A bomba foi detonada à distância na zona de Uludere, junto à fronteira com o Iraque. O governador local confirmou que vão prosseguir as operações do exército naquela zona.

A Turquia, a União Europeia e os Estados Unidos classificam o PKK como um grupo terrorista. Segundo a agência estatal Anadolu, as forças armadas turcas mataram, nos últimos cinco meses, 866 combatentes curdos, no sudeste da Turquia e nas montanhas do norte do Iraque. E estima-se que, desde julho de 2015, quando terminou um cessar-fogo que durava há dois anos, tenham morrido 1200 pessoas, entre civis e elementos das forças de segurança.

O conflito entre Ancara e o partido ilegal já causou a morte de 40 mil pessoas desde 1984, ano em que o PKK iniciou a rebelião armada contra o Estado turco.