Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente do Afeganistão recebido com protestos na Austrália

LUKAS COCH / EPA

O chefe de Estado afegão Ashraf Ghani enfrentou esta segunda-feira protestos na Austrália. Os manifestantes pedem que o executivo afegão pare de discriminar a minoria religiosa xiita Hazara

Miguel Rebocho Pais

Milhares de manifestantes receberam com palavras de protesto em Canberra, esta segunda-feira, o presidente afegão Ashraf Ghani, segundo o jornal The Guardian. Ghani chegou à capital australiana domingo à noite, para uma visita de Estado de três dias que se inicia com um encontro com o governador-geral Peter Cosgrove (o representante da rainha Isabel II na Austrália).

Os manifestantes exigiam que o governo do Afeganistão acabe com a discriminação à minoria religiosa Hazara. Um relatório sobre direitos humanos no Afeganistão, publicado no ano passado pela Secretaria de Estado norte-americana, informava que “a discriminação social contra os Hazaras xiitas continua, sob a forma de taxação ilegal, recrutamento e trabalho forçados, abusos físicos e detenções.” Além das queixas contra o governo, o mesmo relatório menciona ainda dezenas de raptos de indivíduos desta minoria. A maioria dos mesmos é levada a cabo por talibãs afegãos.

Em Canberra, os manifestantes pediram ainda uma moratória ao regresso forçado dos requerentes de asilo afegãos ao país de origem, uma vez que não se verificam condições adequadas de segurança para os Hazara no Afeganistão. Sajjad Askary, refugiado afegão na Austrália, garante a The Guardian que as deportações vão significar para os Hazara “tortura, abusos e eventualmente a morte”.

A Austrália pode deportar afegãos desde 2011, ano em que ficou assinado um memorando entre esse país, o Afeganistão e o alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados. O documento refere serem preferíveis os regressos “voluntários” ao Afeganistão. O executivo de Ghani tem tentado ainda firmar acordos que permitam o regresso de afegãos refugiados em países europeus.

O protesto desta segunda-feira ocorreu às portas da Government House, a residência oficial de Peter Cosgrove no bairro de Yarralumla, e do parlamento australiano. Chegaram autocarros cheios de Hazara vindos de Sydney e Perth (que se situa 3.100 quilómetros a oeste da capital).

O primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull descreve a visita de Ashraf Ghani como um aprofundamento dos laços entre os dois países, com especial incidência na “segurança e cooperação para o desenvolvimento”.