Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Merkel: Reino Unido continua a ser parceiro da Europa e da NATO

Volker Hartmann/GETTY

Porta-voz da chanceler alemã diz que que a notificação de Londres irá clarificar como os britânicos planeiam lidar com o processo de divórcio com a UE

O Reino Unido, que ativou esta quarta-feira os mecanismos do processo formal de saída da União Europeia (UE), continua a ser um parceiro para a Europa e a NATO, afirmou uma porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel.

"Não devemos esquecer que o Reino Unido continua a ser um parceiro na NATO e na Europa", sublinhou Ulrike Demmer, numa conferência de imprensa em Berlim, momentos depois de Londres ter notificado Bruxelas da ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que lança formalmente o processo de saída do Reino Unido do bloco europeu, processo conhecido como 'Brexit'.

O artigo 50.º determina que as duas partes têm dois anos para chegar a um acordo sobre os termos da separação.
A porta-voz do executivo alemão referiu também que a notificação de Londres irá clarificar como os britânicos planeiam lidar com o processo de divórcio com a UE.

"Sobre esta base, os 27 Estados-membros e as instituições da UE vão definir os seus interesses e objetivos", disse Ulrike Demmer, acrescentando que a Alemanha "está bem preparada" para as futuras negociações que "não serão fáceis".

Uma posição repetida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Sigmar Gabriel, que sublinhou que as negociações anteveem-se difíceis e que o mais importante agora é assegurar a coesão dos 27.

"As negociações não serão seguramente fáceis", disse Sigmar Gabriel, ressalvando, no entanto, que os britânicos "permanecem amigos".

"Para a Alemanha, a diretriz clara para as negociações é que a Europa dos 27 permaneça junta e que não salvaguarde apenas o trabalho da unificação europeia, mas que continue a desenvolver-se e a fortalecer-se para futuras tempestades", afirmou o chefe da diplomacia alemã.

O porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Martin Schäfer, salientou ainda que o calendário das negociações é "muito apertado", questionando mesmo se Londres se apercebeu da magnitude da tarefa que tem pela frente.

"A incerteza é um veneno para as pessoas: os cidadãos da UE, os alemães que vivem no Reino Unido (...) e os britânicos que vivem na UE. E ainda mais, é um veneno para as relações comerciais e de investimento", prosseguiu Martin Schäfer.

"Às vezes perguntamo-nos se todos em Londres têm a perceção (da extensão) das consequências, especialmente para a economia do Reino Unido", concluiu o porta-voz da diplomacia alemã.