Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia diz não ter encontrado ligações entre autor e grupos jihadistas

JUSTIN TALLIS/AFP/Getty Images

O autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) reinvidicou o atentado em Westminster

A polícia britânica anunciou esta segunda-feira não ter encontrado ligações entre o autor do ataque na semana passada junto ao parlamento de Londres e o grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI), que o reclamou como um dos seus "soldados".

"Apesar de não ter encontrado nenhuma prova de uma associação com o EI ou a Al-Qaida, existe claramente um interesse na 'jihad'", declarou Neil Basu, comissário adjunto da Polícia Metropolitana de Londres.

Em simultâneo, Janet Ajao, a mãe de Khalid Masood, autor do atentado de quarta-feira em Londres que provocou cinco mortos e cerca de 50 feridos, disse esta segunda-feira que "não perdoa" o que fez o seu filho.

"Não apoio as suas ações nem apoio as crenças que o levaram a cometer essa atrocidade", indicou Ajao em comunicado divulgado pelos 'media' britânicos.

A mulher confessou-se "profundamente emocionada, entristecida e surpreendida" pelo ataque efetuado pelo seu filho que, frisou, "assassinou e feriu inocentes em Westminster".

Khalid Masood, 52 anos, que ainda apunhalou mortalmente um polícia quando tentava entrar no edifício do parlamento, acabou por ser abatido por outros agentes.