Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Joe Biden acredita que podia ter vencido Trump nas presidenciais

Monica Schipper/GettyImages

O vice-presidente de Obama decidiu não se candidatar à Casa Branca após a morte do filho. Um ano depois diz que não o conseguiria ter feito, mas arrepende-se de não ser Presidente

Foi a decisão correta, assegura Joe Biden, mas o vice-presidente de Barack Obama admite estar de alguma forma arrependido por não se ter candidatado à Casa Branca. “Creio que poderia ter ganho”, afirmou na passada sexta-feira, durante uma apresentação na Universidade de Colgate, Nova Iorque.

Biden, de 74 anos, tomou a decisão de ficar fora da corrida depois da morte do seu filho Beau, em 2015. Com a campanha a arrancar escassos cinco meses mais tarde e ainda em processo de luto, disse na altura que seria muito difícil e afastou-se – o que deixou muitos apoiantes dececionados.

Mais de um ano passado, a sua convicção é a de que “embora as primárias pudessem ter sido complicadas”, poderia “ter ganho”. Disse-o na universidade e justificou a afirmação, explicando ter recolhido diferentes dados que apontam nesse sentido.

No quadro político pré-presidenciais, o nome de Joe Biden representava para os democratas uma terceira via, entre Bernie Sanders – mais à esquerda – e Hillary Clinton, criticada pela suposta ligação a Wall Steet e pela polémica em torno do uso do email pessoal enquanto secretária de Estado.

Biden foi candidato por duas vezes anteriormente, em 1988 e 2008, tendo ganho bastante popularidade durante a administração Obama.

“Não me candidatei porque nenhum homem ou mulher deve anunciar que está na corrida para Presidente dos Estados Unidos a menos que possa olhar os eleitores nos olhos e prometer que dará 100%“, afirmou. Feito o balanço, Biden garantiu: “Não teria sido capaz de o fazer. Por isso, não estou arrependido de não me ter candidatado. Mas se me arrependo de não ser Presidente? Sim”.