Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia diz que responsável pelo atentado de Londres atuou sozinho

HANNAH MCKAY / Reuters

Investigação realizada até agora não determinou que o atacante, Khalid Masood, tivesse parceiros ou sequer que tivesse mais ataques planeados. Polícia disse ainda que as razões para o atentado, que demorou apenas 82 segundos, podem nunca ser conhecidas

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

A polícia que está a investigar o atentado de quarta-feira passa em Londres, que vitimou cinco pessoas, concluiu que o atacante, Khalid Masood, atuou sozinho e que existe uma forte possibilidade de nunca se saber as razões que o levaram a preparar o ataque, avançam o The Guardian e a BBC.

"Temos de aceitar que existe a possibilidade de nunca percebermos porque é que ele fez isto", disse o comissário assistente, Neil Basu. Que acrescentou ainda: “Ainda acreditamos que Massod atuou sozinho naquele dia e não há qualquer informação que sugira que mais ataques tenham sido planeados".

Segundo o The Guardian, a polícia de Londres divulgou este sábado alguns detalhes da investigação e ainda uma reconstrução do ataque, que demorou apenas 82 segundos. De acordo com a polícia, após quatro dias de interrogatórios intensivos, não foi possível estabelecer qualquer razão para o ataque.

No total, foram presas 11 pessoas, mas destas oito foram libertadas, duas saíram sob fiança e apenas um homem de 58 anos ficou preso.

Nesse sentido, a polícia vai agora continuar a averiguar se Masood foi motivado por propaganda do Daesh, que depois do atentado o chamou de soldado, ou se houve outras motivações.

Até porque, disse Basu, "mesmo que ele tenha atuado sozinho na preparação, temos de estabelecer com total clareza porque é que ele fez este ataque para que possamos trazer segurança para os londrinos e para darmos respostas às famílias das vítimas e aos feridos".

Recorde-se que o atentado de quarta-feira matou cinco pessoas, entre elas o atacante, e feriu mais de 40 pessoas, uma delas um português que foi assistido e está bem e uma outra que acabou por morrer no hospital. Muitas ficaram feridas com gravidade, mas estarão para já livre de perigo, sendo que há 15 pessoas ainda no hospital.

Segundo as revelações deste sábado da polícia metropolitana de Londres, o ataque começou às 14h40m08s, quando Masood, que ia dentro de um carro alugado, galgou o passeio da ponte de Westminster, perto do Parlamento britânico, atropelando as pessoas que atravessam a ponte. Umas foram apanhadas pelo carro e outras saltaram para o outro patamar da ponte e esmo para o rio, sendo que aqui morreram três pessoas.

Às 14h40m38s, o atacante bateu com o carro contra a barreira do Palácio de Westminster e saiu do carro às 14h40m51s, tendo ainda esfaqueado um polícia, que acabou por morrer. Foi aqui que Masood foi abatido pela polícia às 14h41m30s. Às 14h40m59s foi recebido o primeiro telefonema para o 999 (o equivalente ao 112 em Portugal).