Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Na reta final para as presidenciais, Le Pen faz visita oficial à Rússia pela quarta vez desde 2011

AZIZ TAHER / REUTERS

Candidata da extrema-direita quer reaproximação a Moscovo e o fim das sanções da União Europeia a empresas e personalidades ligadas ao governo de Vladimir Putin, impostas após a anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia. Primeira ronda das eleições francesas acontece dentro de um mês, a 23 de abril. Sondagens apontam que a líder da Frente Nacional vai disputar a segunda volta com o centrista Emmanuel Macron a 7 de maio

A candidata da extrema-direita às presidenciais francesas já está na Rússia para encontros com legisladores do país, naquela que é a sua quarta visita oficial a Moscovo desde 2011 e numa altura em que falta precisamente um mês para a primeira volta das eleições, marcada para 23 de abril. Na capital russa, a líder da Frente Nacional (FN) tem encontros marcados com deputados mas ainda não é claro se vai encontrar-se também com o Presidente, Vladimir Putin.

Marine Le Pen tem feito campanha a favor de um estreitamento das relações bilaterais França-Rússia e pelo fim das sanções impostas a Moscovo pela União Europeia no rescaldo da anexação da península da Crimeia em março de 2014. O correspondente da BBC no terreno sublinha que o Kremlin também tem uma visão favorável da candidata de extrema-direita. A cada visita à Rússia, aponta Hugh Schofield, Le Pen "foi tratada com o tipo de respeito que poucas outras capitais mundiais estão preparadas para lhe conceder". Para nacionalistas populistas como ela, acrescenta o jornalista, "Putin tem o apelo de um líder autoritário forte que põe os interesses do seu país à frente de tudo o resto".

Wallerand de Saint-Just, o tesoureiro da FN, diz que a nova visita de Le Pen a Moscovo não tem como objetivo angariar dinheiro para a campanha, embora alguns membros do partido tenham já declarado que querem angariar milhões de euros para cobrir as despesas desta e da campanha para as eleições parlamentares, marcadas para 11 e 18 de junho deste ano, aponta a Associated Press.

As sondagens de opinião mais recentes preveem um empate técnico na primeira ronda entre Le Pen e o candidato centrista Emmanuel Macron; os mesmos inquéritos dão a vitória a Macron na segunda volta, a 7 de maio.