Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ficaram um ano isolados na Escócia e ninguém lhes disse que o reality show fora cancelado

“Eden” foi apresentado como um programa televisivo que era também uma experiência sociológica, mas os resultados não convenceram em termos de audiências e a transmissão foi suspensa logo no segundo mês

Ao saírem do isolamento em que viveram ao longo de um ano nas montanhas da Escócia, os concorrentes do reality show “Eden” ficaram só esta semana a saber do Brexit, da vitória de Donald Trump, mas também que afinal as transmissões do programa televisivo em que participaram haviam sido suspensas há largos meses.

“Eden” foi apresentado como um programa televisivo do Channel Four que era também uma experiência sociológica que colocava 23 pessoas a viveram numa comunidade auto-suficiente, isolada do resto do mundo.

A tentativa de criar uma sociedade à imagem do conto bíblico deu lugar a cenas de invejas por disputas sexuais, discussões e fome.

Mas os resultados em termos de audiência não convenceram e apenas os primeiros quatro episódios (relativos aos meses de março, abril e maio) foram transmitidos, entre julho e agosto, tendo posteriormente as emissões sido suspensas.

A produção resolveu contudo continuar as filmagens, que o Channel 4 tenciona eventualmente ainda transmitir mais adiante neste ano.

Treze dos participantes terão entretanto desistido, mas os restantes 10 terão permanecido na propriedade isolada com cerca de 242 hectares sem fazer a mínima ideia de que o programa já não estava a ser transmitido.

Os habitantes da região também não ficaram nada agradados com o programa, tendo testemunhado a alguns dos participantes a romperem as regras levando “junk food” e álcool para a propriedade, enquanto outros foram vistos a receberem assistência num dentista local após terem comido grão de ração para galinhas.