Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA vão proibir equipamentos maiores que um telemóvel em voos do Médio Oriente e Norte de África

Scott Olson

Nova medida esteve a ser estudada pela administração Trump nas últimas semanas com base em informações recolhidas pelas agências secretas no terreno, que apontam para uma ameaça concreta

Os Estados Unidos estão a preparar-se para banir qualquer equipamento eletrónico ou elétrico maior que um telemóvel da bagagem de mão de pessoas que viajem de oito países do Médio Oriente e do Norte de África para os Estados Unidos ou dali para os países em questão. A informação começou a circular nos media na segunda-feira à noite e, esta manhã, fonte do governo norte-americano disse à BBC que a medida vai afetar os clientes de nove companhias aéreas com sede em dez aeroportos de oito países. O "The Guardian" avança que serão 13, e não oito, os países afetados.

De acordo com os media norte-americanos, o novo decreto esteve a ser estudado pela administração Trump ao longo das últimas semanas com base em informações recolhidas pelas agências secretas no terreno. A Reuters cita uma fonte oficial a dizer que os espiões americanos recolheram indícios de uma ameaça concreta, sem avançar de que ameaça se trata. Sob a medida, os passageiros das companhias abrangidas não vão poder transportar consigo qualquer equipamento maior que um telemóvel, desde computadores portáteis e tablets até leitores de DVD e consolas de jogos.

Contactado por vários meios de comunicação, o Departamento de Segurança Nacional recusou-se a comentar o assunto, mas de acordo com a fonte citada pela BBC vai fazer o anúncio formal esta terça-feira. A Administração de Segurança dos Transportes (TSA), que está integrada nesse departamento, também se recusou a confirmar a medida e que países ou companhias aéreas serão abrangidos. Fonte oficial disse, contudo, à Associated Press que o decreto vai aplicar-se a voos de companhias que operam no aeroporto internacional de Amã (Jordânia), no aeroporto internacional do Cairo (Egito), no aeroporto Ataturk em Istambul (Turquia), nos aeroportos de Jeddah e Riade (Arábia Saudita), no aeroporto internacional do Kuwait, no aeroporto internacional de Casablanca (Marrocos), no aeroporto internacional de Doha (Qatar) e nos aeroportos do Dubai e de Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos).

Para já não se sabe até quando é que a medida estará em vigor. A AP avançou que as companhias aéreas abrangidas só iam começar a ser oficialmente notificadas a partir das 7h da manhã desta terça-feira, hora de Lisboa. Contudo, a Royal Jordanian Airlines anunciou ontem aos seus passageiros no Twitter que vão deixar de poder transportar equipamentos eletrónicos em voos de e para a América do Norte. No tweet, noticiado pela CNN e apagado pouco depois, a companhia aérea jordana informava que, a partir de hoje, só vai permitir telemóveis e aparelhos médicos nos seus voos de e para Nova Iorque, Chicago, Detroit e Montréal; os restantes equipamentos serão "estritamente proibidos" nas cabines de voo e terão de ser guardados na bagagem de porão.