Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hotel Polana, uma das 'jóias de África', abre em maio com nova cara

“Um espelho da nação” - assim chamava Samora Machel, ex-presidente de Moçambique, ao hotel Polana

d.r.

O hotel em Maputo com 95 anos de história, onde fica sempre Marcelo Rebelo de Sousa quando vai a Moçambique, foi renovado e vai passar a ter 'villas' junto à praia

Conhecido como “a grande dama de África”, o Hotel Polana, em Maputo, está a ser alvo de uma profunda remodelação e vai reabrir em maio já com nova cara. A intervenção está a ser feita no Polana Mar, junto aos jardins e à piscina, numa obra que decorre desde junho do ano passado e que envolve investimentos de 4 milhões de dólares (cerca de 3,7 milhões de euros) por parte do grupo Serena Hotels, cujo principal acionista é o Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico, e ao qual pertence o Hotel Polana desde 2013.

O hotel Polana tem 153 quartos no edifício principal, incluíndo serviço personalizando de mordomo

O hotel Polana tem 153 quartos no edifício principal, incluíndo serviço personalizando de mordomo

O 'novo Polana' vai ser apresentado na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), feira nacional de turismo que começa hoje na FIL e decorre até 19 de março, enfatizando o facto de os portugueses representarem a maioria dos hóspedes do hotel em Maputo, onde Marcelo Rebelo de Sousa, gosta de ficar nas suas delocações a Moçambique.

A piscina é um 'ex-libris' do hotel em Maputo. “Muita gente aprendeu a nadar na piscina do Polana”, diz o diretor-geral

A piscina é um 'ex-libris' do hotel em Maputo. “Muita gente aprendeu a nadar na piscina do Polana”, diz o diretor-geral

As obras do Polana não incidem no edifício principal, cuja fachada foi objeto de requalificação em 2011, mas na unidade junto aos jardins, o Polana Mar, que vai ser ampliada de 55 para 66 quartos, e que ao nível da decoração terá uma “renovação integral, resultando num produto diferente”. Com serviço personalizado de mordomo, o Polana Mar vai também passar a ter um 'Kids Club', equipado com brinquedos e jogos para os 'clientes' mais novos.

Os portugueses representam a maioria da clientela do hotel Polana, conhecido como 'a grande dama de África

Os portugueses representam a maioria da clientela do hotel Polana, conhecido como 'a grande dama de África

“O Polana é muito mais que um hotel, é uma instituição com 95 anos de história, onde passaram muitos reis, rainhas e presidentes, além de figuras públicas, há quem lhe chame um Estado dentro do Estado e Samora Machel até dizia que o Polana é o espelho da nação”, faz notar Miguel Afonso dos Santos, diretor-geral do Hotel Polana, que veio à BTL apresentar o projeto da requalificação desta unidade.

O responsável do hotel frisa que qualquer intervenção nesta unidade é crítica e adquire grande visibilidade, tendo em conta “a relação emocional que o hotel desperta nas pessoas, todos pensam que é um pouco seu, e há muita gente que aprendeu a nadar na piscina do Polana”.

De arquitetura colonial, o Polana remonta a 1922 e faz hoje parte da Serena Hotels, que pertence ao Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico

De arquitetura colonial, o Polana remonta a 1922 e faz hoje parte da Serena Hotels, que pertence ao Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico

A par da renovação que está a ser feita no Polana Mar, o grupo Serena Hotels vai investir mais 5 milhões de dólares (cerca de 4,7 milhões de euros) na contrução de seis 'villas' com 170 metros quadrados cada e vista para o mar, que resultará na unidade Polana Villas, e ascendendo assim o investimento global do grupo a 9 milhões de dólares nesta intervenção.

Os novos quartos do Polana Mar vão manter a “inspiração africana” mas a ideia é ficarem com uma decoração “mais leve”

Os novos quartos do Polana Mar vão manter a “inspiração africana” mas a ideia é ficarem com uma decoração “mais leve”

“Moçambique neste momento gera um 'mix feeling', é um país onde agora já não se fala em conflito e onde muita coisa se esta a passar”, enfatiza Miguel Afonso dos Santos, chamando a atenção para o potencial do turismo num país “com dois mil e setecentos quilómetros de costa, um povo com um sorriso único e que nos dá lições de humildade todos os dias”.