Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Homem abatido no aeroporto de Orly estava identificado pelos serviços de informação

BENOIT TESSIER / REUTERS

Com nacionalidade francesa e 39 anos de idade, o homem ter-se-á radicalizado enquanto esteve preso, por ligações a tráfico de estupefacientes. Este sábado de manhã tinha já ferido um agente policial numa operação stop

O homem abatido este sábado no aeroporto de Orly, em Paris, depois de ter roubado uma arma a um militar, estava identificado pela polícia e pelos serviços de informação, disse o ministro do Interior francês. O terminal sul do aeroporto, onde ocorreu o incidente, continua encerrado, mas o terminal oeste já foi reaberto.

Em declarações à imprensa no aeroporto, o ministro Bruno Le Roux confirmou que o mesmo homem abriu fogo uma hora e meia antes do incidente no aeroporto, numa operação policial em Stains, a norte da capital, onde feriu uma agente.

O condutor do veículo disparou sob três agentes numa operação stop quando ia apresentar os documentos do carro, ficando um deles ligeiramente ferido.

Segundo o canal BFM TV, o homem abandonou o veículo, um Renault Clio que havia previamente roubado, em Val de Marne, e ali roubou um outro carro, um Citroën Picasso, que posteriormente foi localizado no parque de Orly.

Caos no aeroporto

Foi por volta das 8h30 locais (7h30 em Lisboa) que o homem tirou uma arma a um militar no terminal de Orly-Sul, antes de se esconder numa loja. Acabaria por ser abatido pelas forças de segurança, segundo explicou à AFP o porta-voz do ministério do Interior francês, Pierre-Henry Brandet, acrescentando não haver feridos.

O incidente levou a que as autoridades evacuassem o aeroporto de Orly, fechassem os dois terminais e interrompessem o tráfego aéreo, obrigando alguns voos a serem transferidos para o aeroporto de Charles de Gaulle. Entretanto o terminal oeste já foi reaberto.

De acordo com as informações que estão a ser avançadas pela imprensa francesa, o homem tinha 39 anos, nacionalidade francesa e com ligações ao tráfico de estupefacientes.

A polícia suspeitava que o homem se tivesse radicalizado durante o tempo em que esteve na prisão. Porém, a vigilância de que foi alvo terá sido interrompida numa altura que ainda não é conhecida, segundo descreve o jornal "Le Figaro". O pai e o irmão do homem foram ouvidos.

BENOIT TESSIER / REUTERS

Pouco depois de o homem ter sido abatido, a polícia lançou uma operação de busca de explosivos no aeroporto, pedindo às pessoas que não se aproximassem, nem tentassem furar o perímetro de segurança estabelecido.

Segundo a imprensa local, a polícia quis excluir a possibilidade de o homem que foi abatido não estar sozinho, tendo também entretanto confirmado que não foram encontrados explosivos.

Este incidente ocorreu no terminal de Orly-Sul. A TAP também opera neste aeroporto, mas a partir do terminal de Orly-Oeste. De qualquer forma, os dois terminais estão encerrados e pelos menos dois voos da TAP já foram divergidos para o aeroporto de Charles de Gaulle, em Paris.

[notícia atualizada às 13h10]