Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Manifestação de turcos pró-Erdogan em Amsterdão dispersa pela polícia com canhões de água

Na madrugada de domingo já tinham havido confrontos com a polícia numa outra manifestação em Roterdão

DYLAN MARTINEZ/REUTERS

Na madrugada de domingo também ocorreram protestos frente ao consulado turco em Roterdão e pelo menos 12 pessoas foram detidas e um agente ficou ferido, quando a polícia também tentou interromper a marcha com canhões de água e cães

A polícia de intervenção holandesa dispersou com canhões de água uma manifestação de cidadãos turcos apoiantes do Presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que ocorreu este domingo em Amsterdão.

O protesto, que se iniciou ao final da tarde e foi convocada nas redes sociais, foi autorizado pelo presidente da câmara municipal de Amsterdão, Eberhard van der Laan, mas foi ele que acabou por ordenar o fim da concentração devido aos distúrbios e a “alteração da ordem pública”. Os manifestantes, que agitavam bandeiras da Turquia e entoavam palavras de ordem favoráveis ao Governo islamita-conservador turco, bloquearam o trânsito e utilizaram petardos, foguetes e material pirotécnico.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, chegou mesmo a pedir aos truco-holandeses para “manterem a cabeça fria” e evitarem os confrontos registados na madrugada de domingo frente ao consulado turco em Roterdão. Pelo menos 12 pessoas foram detidas nesse protesto, e um agente ficou ferido, quando a polícia tentou interromper a marcha com canhões de água e cães.

Os dois protestos surgiram na sequência da proibição pelas autoridades holandesas da visita de dois ministros do Governo de Ancara à Holanda para participar num comício de apoio ao referendo constitucional de 16 de abril convocado pela Turquia, que pretende ampliar os poderes do Presidente Recep Tayyip Erdogan.