Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Justiça egípcia liberta Hosni Mubarak

O ex-Presidente do país “poderá regressar a casa mal os médicos digam que ele pode sair”, mas não poderá sair do país, disse o seu advogado

O Ministério Público egípcio aceitou esta segunda-feira libertar o ex-Presidente Hosni Mubarak, absolvido no início de março por um tribunal de recurso da pena de prisão perpétua a que tinha sido condenado, indicou o seu advogado.

O advogado do ex-presidente, Farid el-Deeb, precisou que Mubarak, atualmente retido num hospital militar do Cairo, "poderá regressar a casa mal os médicos digam que ele pode sair".

No entanto, Mubarak não poderá ainda sair do país, disse o advogado.

Mubarak, 87 anos, tinha sido condenado em junho de 2012 pela morte de manifestantes na revolta em 2011 que motivou a sua queda.

Desde que foi detido, em 2011, passou a maior parte do tempo retido num hospital militar.

Condenado a prisão perpétua em 2012, Mubarak viu a justiça egípcia ordenar que o processo fosse julgado outra vez.

Em novembro de 2014, um outro tribunal ordenou o fim da acusação contra Mubarak, mas o ministério público egípcio recorreu da decisão.

A 2 de março, o tribunal de recurso confirmou finalmente o arquivamento da acusação.

O antigo presidente egípcio, que esteve no poder cerca de 30 anos, foi julgado em diversos processos na sequência da sua queda, em fevereiro de 2011.