Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais quatro estados norte-americanos contra o decreto anti-imigração de Trump

Karen Ducey/GETTY

Washington vai pedir a um juiz federal para bloquear o novo decreto anti-imigração do Presidente norte-americano. Os estados de Massachusetts, Nova Iorque e Oregon já anunciaram que querem avançar com a mesma ação

Depois do Havai, mais quatro estados norte-americanos querem recorrer à justiça para travar o decreto anti-imigração de Donald Trump. Washington anunciou esta quinta-feira que vai pedir a um juiz federal para bloquear o novo decreto, enquanto os estados de Massachusetts, Nova Iorque e Oregon manifestaram intenção de avançar também com ações no mesmo sentido.

O procurador-geral do estado de Washington, Bob Ferguson, afirmou que a nova ordem executiva tem ainda falhas legais. “Em vez de uma proibição de sete países há agora uma proibição de seis países. A linguagem é praticamente idêntica e ainda há problemas constitucionais relativos às disposições legais”, declarou Bob Ferguson, citado pela CNN.

O Presidente norte-americano assinou esta segunda-feira uma nova ordem executiva proibindo ciddãos de seis países de maioria muçulmana (Irão, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen) de entrarem nos EUA por 90 dias e todos os refugiados por 120 dias. De fora deste novo decreto fica o Iraque, que constava da primeira versão do texto assinado a 27 de janeiro por Trump.

O secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson insistiu que a nova ordem executiva sobre a imigração é fundamental para a segurança interna. “Com esta ordem, o Presidente Trump está a exercer a sua autoridade legítima de manter o nosso povo em segurança"”, afirmou Rex Tillerson, sublinhando ainda que o Iraque é um aliado importante no combate para vencer o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh).

A nova ordem executiva entra em vigor a 16 de março e exclui também os cidadãos que já têm vistos.