Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Maria João Rodrigues entre os 40 eurodeputados “que contam” em 2017

Marcos Borga

A socialista, apontada como potencial “força motriz” no debate europeu sobre política social, é a única portuguesa na lista elaborada pelo site “Político”. No topo surge Manfred Weber

A socialista Maria João Rodrigues é a única portuguesa a integrar a lista com os 40 eurodeputados “que contam” em 2017, segundo uma seleção feita pelo site de notícias Político.

A ex-ministra de Guterres, que integra o Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu, ocupa a oitava posição entre os considerados mais influentes e é apontada como potencial “força motriz” no debate sobre política social, área que é referida como uma das que voltam a marcar a agenda política da União Europeia.

O Político descreve a eurodeputada como uma “poderosa intelectual super-bem ligada, à beira de chegar à tona do poder no Parlamento” e destaca o seu papel em 1997, “quando (trabalhando com Jean-Claude Juncker) foi uma força crítica, que contribuiu para incluir no Tratado de Amesterdão os capítulos sobre política social”.

Numa reação à lista anunciada esta quinta-feira, Maria João Rodrigues diz ter recebido “com satisfação este reconhecimento”.

“É preciso que os portugueses continuem a marcar a agenda Europeia, como tem acontecido em vários momentos chave da construção europeia”, acrescentou, numa curta declaração escrita.

A eurodeputada sublinha que “desta vez, com os deputados socialistas no Parlamento Europeu, com o Governo socialista no Conselho de Ministros e o Primeiro-ministro António Costa no Conselho Europeu, estamos a pôr a convergência económica e social e a reforma da zona euro no centro da agenda da União Europeia”. E termina: “Estamos a lutar para que esta União tenha futuro, para nós portugueses e para todos os europeus! É também preciso fazer política à escala europeia!”

Na lista liderada por Manfred Weber, líder do maior grupo partidário no Parlamento (o Partido Popular Europeu), 21 dos 40 nomes são mulheres. Marine Le Pen surge na quinta posição, pelo facto de a política francesa estar mais perto do que nunca de alcançar o seu objetivo de destruir a União Europeia a partir de dentro”.

Os eurodeputados destacados provêm de 14 países, sendo a Alemanha o que tem mais representantes. O Político decidiu excluir os deputados britânicos, o que justifica pela convicção de que a invocação do artigo 50, após o brexit, fará diminuir o interesse político na prestação destes parlamentares.