Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Donald Tusk reeleito presidente do Conselho Europeu

ERIC VIDAL/ Reuters

O polaco teve o apoio de todos os países exceto da Polónia

A primeira-ministra polaca bem tentou impedir a reeleição do também polaco Donald Tusk, mas foi travada pelos restantes Estados-membros da União Europeia. O atual presidente do Conselho Europeu vai manter-se no cargo por mais dois anos e meio. Teve um apoio esmagador: de acordo com fontes diplomáticas, apenas Beata Szydlo votou contra.

Nem mesmo os países do Grupo de Visegrado – Hungria, República Checa e Eslováquia – que habitualmente alinham com a Polónia, estiveram com Beata Szydlo.

Lá dentro, na reunião, a líder do Governo de Varsóvia tentou vários recursos. Pediu para que o segundo candidato – o eurodeputado polaco Jacek Saryusz-Wolski – fosse ouvido na sala. Mas o pedido foi recusado. Só por unanimidade é que é possível convidar alguém que não é chefe de Estado ou de Governo dos 28 a participar na reunião.

Beata Szydlo argumentou depois que um candidato, para ser eleito, deveria ter o apoio do seu próprio Estado. Voltou a ser travada, desta vez pela opinião do serviço jurídico.

A primeira-ministra polaca, do partido conservador Lei e Justiça (Pis), acusa Donald Tusk de utilizar o cargo de presidente do Conselho Europeu para interferir na política interna da Polónia, e de tentar derrubar o governo em funções. Tusk, que já foi primeiro-ministro do país, pertence ao partido agora na oposição.

Szydlo acabou isolada. Tusk foi reconduzido no cargo até ao final 2019. O atual mandato termina a 31 de maio.