Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pelo menos 30 mortos em ataque a hospital militar em Cabul

HEDAYATULLAH AMID/EPA

Quatro indivíduos armados entraram esta manhã no edifício, disfarçados de médicos. Dezenas de outras pessoas ficaram feridas no ataque, já reivindicado pelo Daesh

Pelo menos 30 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas esta quarta-feira, após quatro homens terem atacado o principal hospital militar de Cabul. O balanço foi atualizado ao fim da manhã pela ministro afegão da Defesa, condenando o ataque, que foi reivindicado pelo autoproclamado estado Islâmico (Daesh) e só terminou após seis horas de tiroteio.

Outra fonte do Ministério da Defesa do Afeganistão precisara anteriormente que o ataque ao Sardar Muhammad Dawood Khanem, localizado na área diplomática, no centro da capital afegã e a poucos metros da Embaixada dos Estados Unidos e do Ministério da Saúde, aconteceu por volta das 9h05 (hora local), depois de os insurgentes terem entrado no edifício, disfarçados de médicos.

Um primeiro atacante fez-se explodir já dentro do hospital, que tem capacidade para 400 camas, tendo os outros três começado depois a disparar, usando também granadas de mão. Já depois de as forças de segurança terem bloqueado a área e entrado no complexo, através do telhado, outras explosões foram ouvidas.

“Estamos perante um ataque terrorista que viola todos os direitos humanos”, afirmou o Presidente afegão Ashraf Ghani, através de um comunicado lido na televisão, onde acrescenta que este “ataque ao hospital é um ataque a todas os cidadãos do país”.

A capital afegã tem sido palco de várias ações terroristas nos últimos meses, reivindicadas pelo movimento talibã e pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh). Os mais recentes ocorreram há uma semana, quando dois ataques suicidas realizados pelos talibãs contra uma esquadra de polícia e um escritório da inteligência em Cabul, deixaram pelo menos 29 mortos e 122 feridos.

O Daesh reivindicou entretanto o ataque. “Agentes do Estado Islâmico atacaram o hospital militar em Cabul”, informou o grupo terrorista através de uma conta verificada do serviço de mensagens Telegram.

(Notícia atualizada às 12h50)