Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump renova restrições à entrada nos EUA (mas há um país que deixa de estar banido)

Cidadãos de seis países maioritariamente islâmicos terão a entrada proibida no território norte-americano. Nova ordem executiva de Trump entra em vigor a 16 de março

O Presidente Donald Trump emitiu esta segunda-feira uma nova ordem executiva que vai banir a entrada no país de cidadãos de seis países maioritariamente islâmicos, e que consiste numa reformulação da ordem de 27 de janeiro que fora bloqueada por um tribunal federal.

Os cidadãos do Iraque vão deixar de constar entre aqueles que terão a entrada probida em território norte-americano. Segundo o secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson, essa alteração surge na sequência da colaboração do governo iraquiano. “Os EUA apreciaram a estreita cooperação. Esta ordem reformulada irá contribuir para a segurança dos Estados Unidos e dos nossos aliados”, afirmou Rex Tillerson, em conferência de imprensa.

Os cidadãos do Irão, Líbia, Síria, Somália, Sudão e Iémen voltarão contudo a ter a entrada vedada durante um período de 90 dias, e todos os refugiados por 120 dias.

Outra diferença é que enquanto a primeira ordem entrava em vigor de imediato, o que gerou grande confusão nos aeroportos e outros postos de controlo de fronteira, a nova ordem prevê um período de adaptação até que comece a ser implementada.

“Nós não podemos comprometer a segurança nacional permitindo a entrada de visitantes no nosso território quando os seus próprios governos são incapazes ou não têm vontade de fornecer a informação que necessitamos para analisá-los responsavelmente, ou quando esses governos apoiam ativamente o terrorismo”, justificou o procurador-geral Jeff Sessions, citado pela CNN.

Os cidadãos que têm visto de residência permanente no país voltam a não ser abrangidos, incluindo-se neste caso, também, os refugiados que já tenham obtido o visto. A nova ordem executiva de Trump entra em vigor a 16 de março.

[Atualizada às 17h25]