Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bitcoin ultrapassa valor do ouro pela primeira vez desde a sua criação

Um membro do clube Bitcoin posa para a fotografia com medalhas da criptomoeda num encontro em Tóquio em fevereiro de 2014

YOSHIKAZU TSUNO

Criptomoeda lançada em 2009 que é parcialmente associada a negócios obscuros na internet fechou quinta-feira a valer $1,268 contra o valor de uma onça de ouro, que encerrou a última sessão nos $1,233

A unidade da criptomoeda digital Bitcoin excedeu pela primeira vez o valor de uma onça de ouro desde a sua criação em 2009, após ter encerrado quinta-feira a valer 1,268 dólares (1,205 euros) contra o valor de uma onça de ouro, ontem situado nos 1,233 dólares (1,172 euros). Os analistas atribuem o nível recorde ao aumento da procura de Bitcoin na China, onde as autoridades estão a tentar combater o seu uso alertando que está a ser usada para canalizar dinheiro para fora do país.

O valor da Bitcoin tem sido volátil desde que foi lançada há oito anos, levando muitos especialistas a questionarem a durabilidade da divisa digital e até quando é que vai conseguir sobreviver. A subida de valor agora registada marca um revés positivo para a criptomoeda, cujo valor tinha decaído para níveis muito baixos em 2014 na sequência de um colapso geral nos valores das divisas.

No início deste ano, as autoridades chinesas abriram uma guerra contra atividades comerciais com recurso à Bitcoin numa tentativa de travar o fluxo ilegal de dinheiro para fora do país, depois da queda recorde registada pela moeda digital em janeiro.

A Bitcoin é atrativa para alguns empresários e utilizadores cibernéticos porque lhes garante anonimato e porque está sujeita a menos escrutínio governamental em comparação com outras divisas. Tal permite que seja usada em negócios ilegais, como aconteceu no caso Silk Road, um site norte-americano encerrado em 2013 depois de buscas do FBI e de outras agências federais no âmbito de uma investigação a tráfico de droga; na altura as autoridades confiscaram milhões de dólares em Bitcoin que estavam na posse de Ross Ulbricht, alegado detentor do site.

Como é que a Bitcoin funciona?

Há quem se refira a ela como um novo tipo de divisa na era digital, mas tal como acontece com outras moedas, o seu valor é determinado pelo que as pessoas estão dispostas a pagar por ela. Para proceder a transações com Bitcoin, um computador tem de resolver um problema matemático difícil que tem uma solução de 64 dígitos; de cada vez que a equação é resolvida, um bloco de Bitcoins é processado e o "mineiro" que encontrou a resposta ao problema recebe novas criptomoedas.

Para acompanhar a crescente complexidade dos computadores, a dificuldade dos puzzles vai sendo ajustada diariamente, uma forma de tentar garantir que existem suficientes novas Bitcoins a serem produzidas. Neste momento, há cerca de 15 milhões de Bitcoins em circulação no mundo, o correspondente a mais de 19 milhões de dólares à taxa de câmbio ontem registada (cerca de 18 milhões de euros).

Quando um utilizador quer obter uma Bitcoin tem de usar uma morada Bitcoin, uma sequência de entre 27 e 34 letras e números que funciona como uma espécie de caixa postal virtual para onde as criptomoedas são depois enviadas. O facto de não haver registos destas moradas permite que os utilizadores mantenham o anonimato durante as transações. Essas moradas cibernéticas são depois armazenadas em carteiras de Bitcoin funcionando como depósitos de poupança.