Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Juncker exalta-se contra críticos e diz “merda” no Parlamento Europeu

No final do debate com os eurodeputados, o presidente da Comissão Europeia exaltou-se esta tarde após ouvir críticas à proposta de Bruxelas para refletir o que poderá ser a Europa em 2025

Depois da apresentação do Livro Branco e das intervenções dos eurodeputados, Jean-Claude Juncker insurgiu-se esta tarde no Parlamento Europeu ao fim de ouvir críticas à proposta da comissão.

“Devo dizer que os debates se seguem e se assemelham uns com os outros. os debates no Parlamento Europeu têm uma especificidade: ninguém ouve aquilo que os outros dizem e os deputados só lêem o texto que prepararam. Será que isto é um debate? De forma nenhuma, antes pelo contrário”, afirmou o presidente da Comissão Europeia.

Juncker dirigiu-se aos eurodeputados que criticaram a proposta de Bruxelas que apresenta cinco cenários distintos do que poderá ser a UE em 2025 e abre portas ao debate entre os Estados-membros. “Gritamos aos quatro ventos que o debate é necessário e que é preciso ir ao encontro dos cidadãos e dos eleitores – que são cidadãos e não apenas eleitores – e quando o fazemos somos criticados. Então merda. Eu diria merda se não estivesse no Parlamento Europeu. O que que querem afinal que façamos?”, questionou.

O presidente do executivo comunitário não escondeu que tem preferência por um dos cinco cenários, mas que se não se apresentassem os outros “matariam o debate.”

No Livro Branco são apresentados cinco cenários: assegurar a continuidade, restringir-se ao mercado único, fazer “mais” quem quiser “mais”, fazer “menos” com maior eficiência, fazer muito “mais” todos juntos. O documento é um contributo de Bruxelas para a Cimeira de Roma, que decorre no próximo dia 25, e será levado ao Conselho Europeu no final do ano. As conclusões são esperadas até às eleições europeias, em 2019.