Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dois estudantes britânicos mortos enquanto combatiam pelo Daesh

Mosul é atualmente palco de fortes combates entre as forças iraquianas apoiadas pela coligação militar liderada pelos Estados Unidos e o Daesh

ARIS MESSINIS/GETTY

Os dois ex-estudantes de medicina faziam parte de um grupo de 22 britânicos da área de assistência de saúde que haviam abandonado a Universidade de Ciências Médicas e Tecnologia no Sudão para aderirem ao autodenominado Estado Islâmico (Daesh) e encontravam-se agora no Iraque

Ahmad Sami Kheder e Hisham Fadlallah - dois ex-estudantes de medicina britânicos que haviam abandonado a sua formação para trabalharem como médicos para o Daesh - morreram no fim de semana quando abandonavam a cidade iraquiana de Mosul e foram atingidos por tiros.

Em 2015, Kheder surgira num vídeo de recrutamento que procurava apresentar o grupo numa ambiência de grande civilidade, mostrando-o a trabalhar num hospital. “Tudo o que vocês estão a fazer no Ocidente é permanecerem refastelados no conforto das vossas casas. Façam uso das vossas capacidades e venham até aqui”, afirmava.

Eles faziam parte de um grupo de 22 pessoas que se pensa terem abandonado a Universidade de Ciências Médicas e Tecnologia do Sudão e viajado até à Síria para aderirem ao Daesh.

Cerca de um terço já terão entretanto morrido. Metade do grupo permaneceu na Síria e os restantes foram destacados para trabalharem num hospital em Mosul.

A cidade é atualmente palco de fortes combates entre as forças iraquianas apoiadas pela coligação militar liderada pelos Estados Unidos e o Daesh.