Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Filho de governador nazi devolve obras de arte à Polónia

Não foi fácil convencer as autoridades polacas a aceitarem tratar do assunto

Luís M. Faria

Jornalista

Em 1939, não muito depois de o exército alemão ter invadido e ocupado a Polónia, a mulher do governador nazi de Cracóvia, Otto Waechter, entrou no museu dessa cidade e selecionou obras de arte para decorar a sede dos nazis na cidade. Um relatório elaborado depois da guerra menciona "as pinturas mais requintadas e os mais belos itens de mobília antiga, objetos militares, etc.".

Waechter manteve-se como governador até 1944 (em 1942 assumiu o mesmo posto numa zona da Ucrânia). Após a derrota, conseguiu permanecer escondido durante quatro anos, escapando ao julgamento pela sua participação no martírio dos judeus e outros. Terminou os seus dias em 1949, num hospital próximo do Vaticano, deixando mulher e seis filhos.

Agora um destes, Horst Waechter, devolveu três obras que os seus progenitores levaram da Polónia. Uma pintura, uma gravura e um mapa foram entregues as autoridades polacas no domingo. Horst diz que tentava devolvê-las há anos mas ninguém queria falar consigo, por ser filho de quem é.

A situação foi desbloqueada por uma historiadora que se apercebeu do caso e tratou de estabelecer contacto com a família. Para Horst, que vive num castelo algures na Áustria, o desfecho foi um alívio. Ele garante que entregou as obras como forma de homenagem à sua mãe, embora reconhecendo que esta se manteve fiel ao nazismo até morrer.

Para a Polónia, esse aspeto não é importante, mas as obras sim. "Esta é provavelmente a primeira vez que o membro de uma família de um dos mais importantes ocupantes nazis devolve arte que foi roubada à Polónia durante a guerra", disse um eurodeputado polaco e vice presidente do Parlamento Europeu, Ryszard Czarnecki.