Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pamela Anderson vai fazer campanha pelos homens injustamente acusados de violação na Suécia

Mike Windle/GETTY

A estrela de “Marés Vivas” sai em defesa do seu amigo Julian Assange, que visitou pela sétima vez na embaixada do Equador em Londres

A atriz e modelo Pamela Anderson diz que irá começar a fazer campanha pelos homens injustamente acusados de violação na Suécia, afirmando que o país tem uma legislação “quase demasiado progressiva”, o que leva a situações que considera injustas – como a que continua a afetar o seu amigo Julian Assange.

“A Suécia tem leis muito progressivas para os crimes sexuais. É quase demasiado progressivo, quase paralisante”, afirmou Pamela em declarações ao “The Independent”, depois de nesta quinta-feira ter visitado pela sétima vez o fundador do WikiLeaks na embaixada do Equador em Londres. “Eu vou mesmo começar a fazer campanha pelas vítima de falsas acusações de violação”, afirmou Pamela Anderson, atualmente com 49 anos e que esteve anteriormente envolvida em ações de defesa dos direitos da mulheres.

Julian Assange está refugiado há quatro anos na embaixada, pois caso saia deverá ser extraditado para a Súécia onde sob ele pende uma acusação de violação. O fundador do WikiLeaks declara-se inocente e diz recear que caso seja extraditado para a Suécia acabe por ser levado para os Estados Unidos, para ser julgado pela revelação de segredos militares.