Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Urdangarin fica em liberdade condicional na Suíça e não pagará fiança

ENRIQUE CALVO/REUTERS

A decisão foi tomada esta manhã pelo tribunal de Palma de Maiorca, que ignorou o pedido do Ministério Público de aplicar uma fiança de 200 mil euros ao cunhado do rei de Espanha

O Tribunal de Palma de Maiorca decidiu esta quinta-feira manter Iñaki Urdangarin em liberdade condicional, que assim poderá continuar a residir na Suíça, país onde se encontra atualmente.

O cunhado do rei de Espanha terá, no entanto, de apresentar-se mensalmente perante as autoridades helvéticas, no dia 1 de cada mês, e comunicar previamente ao tribunal caso pretenda deslocar-se para o estrangeiro. Entretanto, poderá recorrer da decisão para o Supremo Tribunal.

O procurador do Ministério Público espanhol vê assim recusado o seu pedido para que fosse aplicada uma fiança de 200 mil euros a Urdangarin para evitar a prisão efetiva.

O tribunal também manteve a mesma medida de coação a Diego Torres, que fica proibido de abandonar o território espanhol, e terá de entregar o seu passaporte. O empresário e ex-sócio de Urdangarin terá também de comunicar qualquer mudança de residência e apresentar-se periodicamente às autoridades espanholas.

O caso Nóos remonta a 2010. Iñaki Urdangarin e o Diego Torres são acusados de desviarem milhões de euros de fundos públicos do instituto Nóos, uma instituição sem fins lucrativos, através do qual os dois sócios terão conseguido contratos milionários com os governos das Baleares e da Comunidade Valenciana, ambos do PP.