Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Forças iraquianas prestes a reconquistar aeroporto de Mossul ao Daesh

AHMAD AL-RUBAYE

Operação de combate ao autoproclamado Estado Islâmico no último bastião urbano do grupo radical no Iraque já conduziu à recaptura do leste da cidade

As forças de segurança iraquianas lançaram esta quinta-feira de manhã uma ofensiva para reconquistar o aeroporto de Mossul, um dos principais pontos da estratégia militar do governo para expulsar o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) da parte ocidental daquela cidade, a segunda maior do Iraque e o último bastião urbano do grupo extremista no país. A par disso, as tropas e agentes que combatem os radicais no terreno também invadiram o campo militar de al-Ghazlani, com batalhas intensas em curso, noticia a Associated Press.

Apesar de as pistas de aterragem e descolagem já terem sido destruídas pelo Daesh, recapturar uma infraestrutura de Mossul tão vital como o aeroporto vai ajudar o exército iraquiano a controlar as rotas a sul que conduzem ao centro urbano, isto depois de há um mês as tropas terem conseguido reconquistar o leste da cidade. Quentin Sommerville, correspondente da BBC no terreno que está a acompanhar as unidades da polícia federal iraquiana, noticiou esta manhã que o perímetro do aeroporto já está sob controlo das forças governamentais, que estão preparadas para avançar.

À Iraqia TV, um porta-voz do exército explicou que as chefias militares decidiram lançar duas frentes simultâneas de ataque, no aeroporto e na base de al-Ghazlani, para "distrair" os militantes do Daesh. "Podemos confirmar que o aeroporto de Mossul já foi recapturado militarmente e que é apenas uma questão de pouco tempo até determos total controlo", disse Sabah al-Numan, dos Serviços de Contraterrorismo (CTS). Os ataques ao Daesh nestes dois pontos nevrálgicos estão a ser conduzidos por esta unidade e pelas tropas de elite de Resposta Rápida, com o apoio de milhares de tropas iraquianas que, apoiadas por fogo de artilharia e pela campanha de bombardeamentos aéreos da coligação internacional, continuam em várias partes do território ao redor de Mossul a tentar recapturar totalmente o último centro urbano controlado pelos jiadistas.

Panfletos a avisar os residentes da ofensiva iminente no aeroporto e na base de treino de militantes do Daesh foram largados ontem no oeste de Mossul, com maior densidade populacional e onde especialistas apontam que existem mais bairros pró-Daesh. As batalhas pela parte ocidental representam grandes desafios, sobretudo por causa das vielas estreitas que compõem esta zona urbana e que dificultam a passagem de veículos blindados. As cinco pontes sobre o rio Tigre, que ligavam o leste ao oeste da cidade, foram destruídas por bombardeamentos aéreos.

A ONU está preocupada com o bem-estar dos civis que continuam na cidade, um número que poderá ascender às 650 mil pessoas. Mais de 160 mil iraquianos já fugiram das suas casas dentro e ao redor da cidade nas últimas semanas. No final de janeiro, a organização apontou que quase metade do total de vítimas na ofensiva para reconquistar Mossul foram civis. Mossul está sob controlo do Daesh desde 2014. A campanha das forças iraquianas para recapturar a cidade com o apoio aéreo da coligação liderada pelos EUA foi iniciada em outubro.