Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Canadá não vai travar a entrada ilegal de refugiados vindos dos Estados Unidos

Chris Roussakis

O número de pessoas que tem atravessado ilegalmente as fronteiras mais isoladas e não vigiadas dos Estados Unidos para o Canadá cresceu nas últimas semanas face aos receios de que o Presidente norte-americano ordene a sua expulsão do país

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, afirmou que vai continuar a aceitar a entrada ilegal no país de candidatos a asilo vindo dos Estados Unidos, mas irá estabelecer medidas para manter os canadianos seguros.

As autoridades fronteiriças já criaram um centro temporário para processar os pedidos de asilo correspondentes a entradas de pessoas vindas dos Estados Unidos na província de Manitoba e no Quebeque.

As imagens de pessoas que chegam de táxi até a uma curta distância da fronteira com o Quebeque, percorrendo depois o resto do caminho a pé, por entre a neve, tornaram-se virais na Internet.

A situação levou membros da oposição a pressionarem o Governo de centro-esquerda para que tome medidas para travar este fluxo.

“Um dos motivos pelos quais o Canadá permanece um país aberto é porque os canadianos confiam no seu sistema de imigração e na integridade das nossas fronteiras e na ajuda que fornecemos às pessoas que estão à procura de segurança. (…) Continuaremos a apontar para um equilíbrio entre o sistema rigoroso e a aceitação das pessoas que precisam de auxílio”, respondeu Trudeau no Parlamento.

O número de cidadãos que pedem asilo junto à fronteira do Quebeque mais do que duplicou de 2015 para 2016. No mês passado, foram registados 425 pedidos, contra apenas 137 em janeiro de 2016.