Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentado bombista em área residencial de Lahore faz pelo menos sete mortos

Os atentados em Lahore e no resto da província do Punjab têm estado a aumentar nos últimos meses

STR

É o último de uma série de ataques executados em várias partes do Paquistão nas últimas semanas. Desde meados de fevereiro, grupos armados já mataram pelo menos 130 pessoas e feriram centenas de outras

Pelo menos sete pessoas morreram esta quinta-feira num atentado bombista que teve como alvo um mercado da cidade de Lahore, no leste do Paquistão, o último de uma série de ataques executados por vários grupos armados no país nas últimas semanas.

O ataque desta manhã, início da tarde no Paquistão, ocorreu num edifício em construção num mercado de um bairro residencial de luxo de Lahore. O correspondente da Al-Jazeera no terreno diz que o mercado estava apinhado por ser hora de almoço e integra uma série de lojas, cafés e restaurantes.

Desde meados de fevereiro, pelo menos 130 pessoas perderam a vida na sequência de ataques executados em várias partes do país, de que resultaram centenas de feridos. Na semana passada, um atentado suicida contra a polícia durante um protesto no centro de Lahore provocou 13 mortos e dezenas de feridos.

Ontem, o exército paquistanês tinha anunciado uma nova operação militar em resposta à recente onda de violência, que passa por destacar mais forças paramilitares para o Punjab, a província mais populosa do país que tem em Lahore a sua capital. "É um esforço que integra operações de combate ao terrorismo e operações de segurança mais abrangentes em Punjab, a continuação de outras operações em todo o país e um maior foco na gestão de segurança do território", disse o Exército em comunicado.

As forças armadas do Paquistão estão há 15 anos a conduzir uma série de operações nas áreas tribais do país; a última foi lançada em Zarb-e-Azb em 2014 contra os talibãs paquistaneses e os seus aliados no coração do Waziristão do Norte. No ano passado, o exército declarou aquela região livre de grupos armados, mas operações com base em informações das secretas continuaram em marcha por todo o Paquistão.

A Operação Radd-al-Fasaad, ontem anunciada pelas autoridades paquistanesas, é a primeira missão formal de segurança a ser lançada na província do Punjab, onde o atual primeiro-ministro, Nawaz Sharif, lançou a sua carreira política. Sob a nova Lei Anti-Terrorismo aprovada no país, as forças paramilitares que vão conduzir a operação na provínca têm poderes alargados para perseguir suspeitos de atividades terroristas por um período de 60 dias a contar de quarta-feira, avançou o Ministério do Interior.