Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump e Trudeau reúnem-se esta segunda-feira em Washington

Win McNamee/GETTY

Encontro do primeiro-ministro canadiano com Trump servirá para discutirem as visões comuns e alertar para a importância do Tratado de Livre Comércio da América do Norte

Vinte e cinco anos e várias visões opostas separam Justin Trudeau e Donald Trump. O primeiro-ministro canadiano desloca-se esta segunda-feira a Washington para reunir-se com o Presidente norte-americano, no primeiro frente a frente desde que Trump foi empossado como líder dos EUA.

Com vários temas na agenda, os dois governantes terão oportunidade para discutir a relação bilateral naquele que será provavelmente o mais importante encontro entre os líderes dos dois países vizinhos em vários anos. Depois de Obama e Trudeau partilharem uma visão mais liberal, com destaque para o comércio livre, refugiados, igualdade de género e direitos das minorias, Donald Trump defende agora o protecionismo e quer impedir a entrada de refugiados no país.

Antes de deixar o Canadá, o primeiro-ministro canadiano afirmou que o encontro com Trump servirá para discutir as visões comuns e alertar para a importância do Tratado de Livre Comércio da América do Norte, que o Presidente norte-americano considera que tem que ser renegociado.

“Vamos falar sobre todo o tipo de assuntos em que estamos alinhados, como criação de emprego e crescimento económico, oportunidades para a classe média – o facto de que milhões de bons empregos nos dois lados da nossa fronteira dependem do fluxo de bens e serviços naquela fronteira”, acrescentou.

Promover as mulheres no mercado laboral

Uma fonte da Casa Branca, citada pela AP, adiantou também que os dois líderes estão a planear uma iniciativa que pretende promover as mulheres empresárias nos dois países.

Os EUA e o Canadá são os maiores parceiros comerciais – mais de 75% das exportações do Canadá têm como destino os Estados Unidos, enquanto 18% das exportações norte-americanas seguem para o país mais a norte.

Trudeau nunca criticou diretamente Trump, em nome da relação diplomática. No entanto, o primeiro-ministro canadiano não hesitou em manifestar-se contra o decreto anti-imigração assinado pelo Presidente dos EUA – que suspende a entrada no país de cidadãos naturais de sete países muçulmanos – e disse inclusivamente que estes cidadãos serão bem-vindos no Canadá.

“Aos que fogem da perseguição, do terror e da guerra, fiquem a saber que o Canadá vos acolherá independentemente da vossa fé. A diversidade é a nossa força #Bem-vindosaoCanadá”, escreveu Trudeau na altura no Twitter.

Em meados de janeiro, o líder canadiano anunciou a substituição do ministro dos Negócios Estrangeiros Stéphane Dion, também tendo em vista a relação com os EUA. É que durante a campanha das eleições norte-americanas, Dion teceu duras críticas a Trump, considerando, por exemplo, que a intenção de proibir a entrada de muçulmanos nos EUA era inaceitável.