Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Paquistão proíbe celebração do dia de São Valentim

RIZWAN TABASSUM/GETTY

Contra a data festejada pelos namorados, a justiça do país usou como argumento a sua convicção de que esta “promove a imoralidade, a nudez e a indecência”

Alheio ao romantismo da época, o Tribunal Superior de Islamabad, no Paquistão, proibiu a manifestação de atos públicos ou a exibição de adereços alusivos ao dia de São Valentim. Contra a data festejada pelos namorados, a justiça usou como argumento a sua convicção de que esta “promove a imoralidade, a nudez e a indecência”.

A sentença teve por base uma queixa apresentada contra o Estado paquistanês por um cidadão, Abdul Waheed, para quem “com a desculpa de celebrar o amor”, o que é fomentado realmente são manifestações que atentam “contra as ricas tradições e valores” do país.

Perante os meios de comunicação Waheed defendeu que o dia de São Valentim “vai contra aos ensinamentos islâmicos e deve ser proibido de imediato”.

O mesmo considerou o juíz Shaukat Aziz Siddiqui, ordenando que os organismos competentes “garantam que nada alusivo à data seja difundido ou promovido”.

A polémica em torno do dia de São Valentim resulta do facto de grande parte da população o festejar, apesar da data nada ter a ver com o Paquistão. Os restaurantes e as pastelarias, por exemplo, têm por hábito anunciar promoções e ofertas específicas para os namorados, perante o desagrado dos que, em contrapartida, defendem a criação do Dia da Decência.