Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Divulgada carta de ´cérebro´ do 11 de Setembro a Barack Obama

HENNY RAY ABRAMS / AFP / Getty Images

Escrita a partir de Guantánamo, nela Khalid Shaikh Mohammad atribui a culpa dos ataques aos EUA, país que “matou pessoas inocentes em todo o mundo”

Considerado pelas autoridades norte-americanas como o principal arquiteto dos atentados de 11 de setembro de 2001, Khalid Shaikh Mohammad está preso em Guantánamo e foi a partir da cadeia que escreveu uma carta ao ex-Presidente Barack Obama. Nela, atribui a culpa dos ataques aos EUA, país cuja política externa, afirma, “matou pessoas inocentes em todo o mundo”.

A carta data de janeiro de 2015 mas só agora foi dada a conhecer. Ou, pelo menos, parte do seu conteúdo, já que a missiva original tem 18 páginas no total. Chegou à Casa Branca dois anos após ter sido escrita e com Obama quase de saída, dizem os media.

Os funcionários da prisão de Guantánamo começaram por recusar o seu envio. Foi preciso o advogado de Shaikh Mohammad pedir a intervenção de um juíz, lembrando estar consagrado o direito de o prisioneiro se dirigir ao Presidente. Por fim, o Tribunal Militar concordou e a carta seguiu para o destinatário.

“As suas mãos ainda estão molhadas com o sangue dos nossos irmãos e irmãs e crianças, que foram mortos em Gaza”, escreve Shaikh Mohammad no primeiro parágrafo, mais adiante considerando Obama a “cabeça de uma serpente” e o Presidente de um país de “opressão e tirania”.

Diz ainda não ter medo, nem da pena de morte nem da prisão perpétua. Garante que “nunca pedirá piedade”. “Prazerosamente, permanecerei sozinho na minha solitária rezando a Alá pelo resto da minha vida e confessando todos os meus pecados”, escreve. “E se o seu tribunal me condenar à morte, então com mais prazer encontrarei Alá e os profetas, irei ao encontro dos meus amigos que foram mortos injustamente por vocês em todo o globo, e verei o sheik Osama bin Laden.”