Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Exército norte-americano permite conclusão do oleoduto Dakota Access

MARK RALSTON/GETTY

A notificação enviada ao Congresso ocorre após Donald Trump ter manifestado o seu apoio no mês passado ao polémico oleoduto que atravessa quatro Estados norte-americanos

O Corpo de Engenharia do Exército norte-americano notificou o Congresso de que vai autorizar a passagem do oleoduto Dakota Access por baixo de um reservatório do rio Missouri, no Dakota do Norte.

A notificação ocorre após Donald Trump ter manifestado o seu apoio no mês passado, num dos seus primeiros atos enquanto Presidente.

Trata-se da última fase do projeto orçado em 3,6 mil milhões de euros, que atravessa quatro estados norte-americanos, ao longo de uma área de 1886 quilómetros, e que permitirá transportar petróleo do Dakota do Norte para o Illinois.

O projeto está quase concluído, faltando apenas completar uma área de menos de dois quilómetros, mas que tem contudo sido alvo de muitos protestos de grupos ambientalistas, assim como de líderes de tribos americanas, alguns dos quais acamparam no local. Desde que os protestos começaram no ano passado já foram detidas quase 700 pessoas.

O departamento de Justiça apresentou esta quarta-feira documentos judiciais, entre os quais cartas para membros do Congresso escritas pelo adjunto do secretário do Exército, Paul Cramer, indicando que o Corpo de Engenharia do Exército tenciona aprovar uma licença para permitir a passagem por baixo do Lago Oahe ainda nesta quarta-feira.

A tribo Standing Rock Sioux está preocupada com a eventualidade de uma fuga do oleoduto poder poluir a água potável e prometeu continuar a batalha legal.

A construtora de oleodutos Energy Transfer Partners, sediada em Dallas, garante que o oleoduto é seguro.