Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Venezuela recusa ajuda humanitária do Brasil

Spencer Platt/GETTY

O governo venezuelano admite falhas na distribuição de produtos alimentares e medicamentos, mas receia que por detrás do apoio esteja a ser configurada uma violação da soberania nacional e continua por isso a negar ajuda estrangeira

A Venezuela recusou receber ajuda humanitária enviada pelo vizinho Brasil, revelou o Presidente brasileiro Michel Temer, numa carta em que manifesta preocupação pela crise político-económica venezuelana.

"Reafirmo que é com especial preocupação que acompanhamos a situação na Venezuela. Já oferecemos ajuda humanitária, em particular inclusive pela doação de medicamentos. Infelizmente a oferta não foi aceite", afirma, na missiva enviada ao presidente do parlamento venezuelano, Júlio Borges.

O documento, cujo conteúdo foi divulgado esta terça-feira em Caracas, explica que o Governo brasileiro continua "na disposição de contribuir, na medida do possível, no mais absoluto respeito pela soberania da Venezuela".

"Saiba vossa excelência e saibam todos os vossos concidadãos, que o Brasil está e sempre estará ao lado do irmão povo venezuelano", sublinha.

Na Venezuela são cada vez mais frequentes as queixas da população sobre as dificuldades para aceder a alguns produtos do cabaz básico alimentar e medicamentos, uma situação que o Parlamento venezuelano, em que a oposição é maioritária, considera configurar um quadro de emergência humanitária no país.

Segundo a imprensa venezuelana, o Governo do Presidente Nicolás Maduro tem dificultado a entrada de medicamentos, recolhidos em diversos países e enviados ao cuidado da Cáritas.
O Executivo admite falhas na distribuição de produtos alimentares e medicamentos, mas suspeita que por detrás do apoio esteja a ser configurada uma violação da soberania nacional.

Fontes da Associação Farmacêutica Venezuelana dão conta que a escassez de medicamentos ronda os 85%.