Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Oposição ao racismo e sexismo são importantes”: Presidente da Câmara dos Comuns rejeita convidar Trump para discursar

O presidente Câmara dos Comuns, John Bercow (ao centro)

ANDY RAIN/ EPA

Numa rara intervenção pública, Jonh Bercow disse aos parlamentares que já era contra o convite para Trump discursar na Câmara antes de este decretar a interdição temporária de imigrantes provenientes de sete Estados de maioria muçulmana

John Bercow, presidente da Câmara dos Comuns britânica, não quer que Donal Trump discurse no parlamento britânico. O conservador garantiu, esta segunda-feira, que não quer apresentar o convite ao Presidente norte-americano, justificando que, apesar de “valorizar a relação com os Estados Unidos da América”, a “oposição ao racismo e ao sexismo e o apoio à igualdade face à lei e a uma justiça independente são consideração imensamente importantes”.

Numa rara intervenção pública, Bercow disse aos parlamentares que já era contra o convite para Trump discursar na Câmara antes de este decretar a interdição temporária de imigrantes provenientes de sete Estados de maioria muçulmana.

“O discurso de um líder estrangeiro perante as ambas as câmaras não é um direito automático. É uma honra que se ganha. Antes da ordem executiva que proíbe a entrada de imigrantes, opunha-me fortemente a um discurso do Presidente Trump em Westminster. Depois da ordem, ainda me oponho mais fortemente a um discurso do Presidente Trump em Westimister Hall”, disse perante os deputados.

Bercow é um dos dirigentes parlamentares cuja concordância é necessária para dirigir um convite a um dirigente estrangeiro para discursar aos parlamentares e aos pares. “Não desejo apresentar um convite ao Presidente Trump para discursar na Royal Gallery”, afirmou.

Trump deve visitar o Reino Unido durante o ano corrente, enquanto convidado da rainha Isabel II. O convite foi anunciado pela primeira-ministra Theresa May, quando visitou Trump, em Washington, em janeiro.

A aparente pressa do executivo de Londres se aproximar do poder em Washington está a suscitar críticas. Uma petição em linha contra a deslocação de Trump a Londres já recolheu maios de 1,8 milhões de assinaturas e vai ser debatida pelos parlamentares, em 20 de fevereiro.

Entre os estrangeiros que já tiveram a honra de discursar nas duas câmaras do parlamento britânico estão Nelson Mandela e o antecessor de Trump, o Presidente Barack Obama.