Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Onde está a tua misericórdia?”, perguntam cartazes anónimos ao Papa

Michael Campanella/GETTY

Tratados como publicidade anónima pelo município de Roma, os cartazes são mais uma prova do incómodo dos conservadores na Igreja

Luís M. Faria

Jornalista

Ontem de manhã Roma acordou com as suas paredes cobertas por centenas de cartazes onde se via o Papa com uma expressão carrancuda, bem longe da imagem sorridente e benévola que o mundo lhe associa.

Eram cartazes anónimos, escritos no calão local de Roma e claramente produzidos por gente na linha conservadora da Igreja Católica, a julgar pelo que neles se lia: “Hey Chico ("A France", no original), tu tomaste posse de congregações, suspendeste padres, decapitaste a Ordem de Malta e os Franciscanos da Imaculada, ignoraste cardeais... Mas onde está a tua misericórdia?"

As referências a individualidades e instituições conservadoras que contestaram o Papa e geraram uma reação por parte dele - entre as quais a Ordem de Malta, cujo grão-mestre Francisco substituiu na semana passada - eram facilmente reconhecíveis.

O município de Roma depressa fez tapar os cartazes com a indicação de que se tratava de publicidade não-autorizada. Uma prática habitual, mas que costuma demorar mais a executar. Desta vez a Câmara não perdeu tempo.

Do Papa não se ouviu reação nenhuma até agora. Mas um dos seus aliados comentou que os cartazes são um sinal de que ele está a fazer coisas boas, por confirmarem o incómodo que provoca em certas pessoas.