Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Já há uma petição para o ‘impeachment’ de Donald Trump

MANDEL NGAN

O novo Presidente dos EUA tomou posse no passado dia 20 de janeiro, há escassos 15 dias, mas já existe um movimento civil a pedir o seu ‘impeachment’. Essa figura legal que consegue depor um chefe de Estado americano conta com mais de meio milhão de assinaturas.

Antes de ser eleito, o candidato republicano Donald Trump reunia uma data de pontos de interrogação à sua volta. Empossado a 20 de janeiro, não só confirmou alguns dos maiores receios da população americana que não votou nele (e que é cerca de metade), como se apressou a cumprir uma série de promessas eleitorais polémicas, no mínimo. A construção do muro ao longo de toda a fronteira com o México e a lei que suspende a entrada de refugiados nos EUA e a de cidadãos de sete países de maioria muçulmana (por 90 dias) foram algumas das mais controversas.

Rapidamente, Trump fez inimigos. Pela primeira vez, um Presidente (o do México), cancelou uma visita oficial aos EUA. Um pouco por todo o mundo (ONU, União Europeia...), levantaram-se vozes repletas de apreensão. Uma conversa telefónica com o primeiro-ministro da Austrália foi abrputamente interrompida a meio, quando Donald Trump desligou o telefone na cara do seu interlocutor por não lhe agradar a temática da conversa (refugiados). As pessoas sairam à rua, um pouco por todo o lado, para protestar contra a nova administração da Casa Branca.

Agora, ficámos a saber que a plataforma não governamental www.change.org tem no seu site uma petição que conta com mais de 500.000 assinaturas para depor (impeach) o novo Presidente Donald Trump. A deposição de um líder dos EUA é possível em casos de traição, corrupção ou outros crimes graves. O que o movimento "Impeach Trump Now" alega é que a presidência de Trump criou já "uma onda de corrupção muito pior que a de Watergate". A petição afirma ainda que "desde o momento em que assumiu o cargo, o Presidente Donald Trump tem andado constantemente a violar a Constituição dos EUA". Ora, "o Presidente não está acima da lei, e nós não vamos permitir que Trrump lucre com a Presidência à custa da nossa democracia", pode ler-se.

Outros argumentos apresentados para proceder a este impeachment são a suspeita de violação do USA Patriot Act, ao conspirar com a Rússia para interferir nos resultados da eleição presidencial.

Na história dos EUA, o Senado aprovou uma única vez o pedido de impeachment, em 1868, relativamente a Andrew Johnson. Quantas assinaturas conseguirá reunir esta petição...? Aguardemos.