Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Amigo da Rússia” confirmado para chefiar diplomacia norte-americana

JONATHAN ERNST/RETUERS

Foi a mais renhida confirmação de um secretário de Estado na história recente dos Estados Unidos, mas o Senado aprovou a nomeação de Rex Tillerson - o antigo CEO da petrolífera Exxon Mobil, que em 2013 foi distinguido com a Ordem da Amizade pelo Kremlin – como secretário de Estado

Com 56 votos a favor e 43 contra, o Senado norte-americano aprovou esta quarta-feira a polémica nomeação feita por Donald Trump para a chefia da diplomacia norte-americana.

Rex Tillerson - o texano de 64 anos, ex-CEO da petrolífera Exxon Mobil, que estabeleceu negócios de biliões de dólares com a petrolífera estatal russa Ronsneft e que foi distinguido em 2013 com a Ordem da Amizade pela Kremlin – vai mesmo assumir a secretaria de Estado, em sequência daquela que foi a confirmação com menor margem na história recente dos Estados Unidos.

O resultado não tem sequer comparação com as confirmações menos consensuais dos nomeados para o cargo nos últimos 50 anos: Condoleeza Rice em 2005 com 85/13, e Henry Kissinger em 1973 com 78/7.

Chegou a surgir a hipótese dos próprios senadores republicanos não apoiarem Tillerson, inviabilizando a escolha de Trump, mas tal não se confirmou tendo os mebros do senado votado sobretudo de acordo com as suas linhas partidárias.

O secretário de Estado terá a seu cargo as relações com a Rússia e a China, assim como negociações relacionadas com as alterações climáticas e os direitos humanos.