Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Um dia verdadeiramente memorável”: Reino Unido absolve milhares de homens condenados por serem homossexuais

PAUL FAITH/ Getty Images

A “Lei de Turing”, diploma designado em honra de Alan Turing (o matemático britânico que ajudou a decifrar os códigos secretos nazis durante a II Guerra Mundial), entrou em vigor esta terça-feira

O governo britânico concedeu um indulto e um "perdão póstumo" a milhares de homens condenados no passado no Reino Unido por serem homossexuais ou bissexuais, afirmou esta terça-feira o ministro da Justiça e do Interior, Sam Gyimah.

"Hoje é um dia verdadeiramente memorável", disse Gyimah, ao assinalar a entrada em vigor da "Lei de Turing", diploma designado assim em honra de Alan Turing (1912-1954), o matemático britânico que ajudou a decifrar os códigos secretos nazis durante a II Guerra Mundial.

Alan Turing foi condenado por atentado ao pudor grave, depois de ter mantido relações com um homem de 19 anos, em 1952. Posteriormente, foi castrado quimicamente. O matemático suicidou-se com cianeto em 1954.

A legislação que entrou esta terça-feira em vigor permitiu ao Executivo de Londres conceder "indultos formais" aos cerca de 49 mil homens que foram condenados no passado no Reino Unido porque mantinham relações homossexuais consensuais.

A par do indulto póstumo, o governo britânico concedeu um "perdão legal" a todos aqueles que ainda estão vivos. Desta forma, os respetivos cadastros criminais são eliminados.

Londres tinha anunciado em 2016 a introdução desta nova legislação, que oficialmente é designada como "Lei Policial e Criminal". A lei entrou hoje em vigor depois de ter sido assinada pela rainha Isabel II.

"Não podemos desfazer os danos causados, mas pedimos desculpa e foram tomadas medidas para corrigir esses erros", destacou o ministro da Justiça e do Interior.

A organização de defesa dos direitos dos homossexuais Stonewall aplaudiu o passo dado pelo governo britânico, considerando que a medida é um "marco importante" para assegurar a igualdade perante a lei.

Manter relações homossexuais foi considerado um crime em Inglaterra e Gales até 1967. Na Escócia foi crime até 1980 e na Irlanda do Norte até 1982.

Em 2013, a rainha Isabel II concedeu um perdão ao matemático Alan Turing. Nessa altura, surgiu um movimento, batizado com o seu nome, para pedir que o indulto fosse aplicado a todas as pessoas que foram condenadas por causa da sua orientação sexual.

Esta campanha envolveu várias personalidades, incluindo o ator britânico Benedict Cumberbatch, que protagonizou o filme inspirado na história do matemático "O Jogo da Imitação" (2014), que ganhou em 2015 o Óscar de Melhor Argumento Adaptado.

Antes do perdão real, um pedido de desculpas foi oferecido em 2009 pelo então primeiro-ministro britânico, o trabalhista Gordon Brown, pela forma como Alan Turing foi tratado.

O matemático tornou-se um símbolo da luta pelos direitos dos homossexuais.