Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

109 ou 721? Os diferentes números da Casa Branca e do Departamento de Segurança Interna

Justin Sullivan/ Getty Images

Donald Trump questionou o porquê de tanta polémica em torno da ordem executiva para o controlo da entrada de cidadãos no país, uma vez que “só afetou” pouco mais de uma centena de pessoas. Mas este não é o mesmo número apresentado pelo Departamento de Segurança Interna, que controla as fronteiras e está no terreno. Na próxima semana vão chegar aos EUA mais 800 refugiados

Poucas horas separam os balanços apresentados pela Casa Branca e pelo Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos da América, mas os números de pessoas afetadas pela política anti-imigração são bem diferentes. Donald Trump garantiu que ao longo do fim de semana 109 pessoas foram proibidas de entrar no país. Esta terça-feira, em conferência de imprensa, os responsáveis pelo controlo das fronteiras dizem que afinal foram 721.

John Kelly, chefe do Departamento de Segurança Interna, ressalvou que este não é número atual e que corresponde apenas às primeiras horas da entrada em vigor da medida que proíbe a entrada de cidadãos e refugiados de sete países (Iraque, Irão, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen).

“Sabíamos que a ordem executiva iria chegar”, disse Kelly na conferência de imprensa, explicando que esta era uma das promessas de Trump desde o início da campanha eleitoral. Uma vez eleito, “não houve surpresas”.

Negando sempre que se trate de uma medida para proibir a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, o chefe do Departamento de Segurança Interna defendeu que a ordem executiva trata-se de “uma questão de segurança nacional” e que esta está a ser implementada de forma “profissional, humana e de acordo com a lei”. “Não irei jogar com a vida dos norte-americanos”, afirmou aos jornalistas.

Na segunda-feira, uma vez mais através do Twitter, Donald Trump apresentou os números relativos às pessoas barradas nas fronteiras ao longo do fim de semana.

Mais tarde, o porta-voz da Casa Branca disse o mesmo. “Quando olhamos para o contexto – e isso é importante – 325 mil pessoas voaram para os aeroportos deste país, vindos do estrangeiro, nas primeiras 24 horas. 109 pessoas foram afetadas”, disse Sean Spicer em declarações à MSNBC.

Na conferência de imprensa desta terça-feira à tarde, além de balanços, foi ainda anunciado que os Estados Unidos vão receber mais 875 refugiados na próxima semana.