Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Organização de resgate dos EUA considera “prejudicial” fim do acolhimento de refugiados

O Comité Internacional de Resgate, organização norte-americana que ajuda populações em zonas de guerra, considerou "prejudicial e apressada" a decisão do presidente Donald Trump de suspensão do programa de acolhimento de refugiados pelos EUA.

Num comunicado emitido na noite de sexta-feira, após o anúncio da suspensão, o presidente do Comité Internacional de Resgate (IRC, na sigla inglesa), David Miliband, disse que "os EUA devem permanecer fiéis aos seus valores fundamentais" e "permanecer um farol de esperança".

Na declaração, o IRC assegurou que o processo de seleção de candidatos a refugiados nos EUA já é robusto - envolvendo exames biométricos e até 36 meses de verificação por "12 a 15 agências governamentais".

Miliband elogiou a tradicional colaboração dos Estados Unidos como um destino de refugiados e migrantes.

"Este não é o momento para os EUA virarem as costas às pessoas que estão prontas para se tornarem patriotas", disse.

O IRC é uma Organização Não-Governamental (ONG) com sede em Nova Iorque, nos EUA, criada em 1933 por sugestão de Albert Einstein para reconstruir zonas de guerra e ajudar na reintegração de refugiados nos Estados Unidos.

Atualmente está presente em mais de 30 países, de acordo com o 'site' da organização.