Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Vamos renegociar os nossos acordos comerciais”. A conversa telefónica entre Trump e Peña Nieto

YURI CORTEZ/GETTY IMAGES

Donald Trump adiantou que EUA e México vão “renegociar os acordos comerciais”, o que será “positivo para os dois países”

Donald Trump e Enrique Peña Nieto, Presidente do México, falaram esta sexta-feira durante uma hora ao telefone. O Presidente norte-americano, numa conferência de imprensa, garantiu que os dois países, apesar da tensão dos últimos dias, vão agora “trabalhar numa nova relação”, que será “mais justa para os EUA”.

Esta sexta-feira, Donald Trump escreveu na sua conta de Twitter que o México está a “abusar dos EUA há tempo suficiente”. Também na conferência de imprensa, voltou a reforçar a ideia de que o país “não pode continuar a perder empresas e postos de trabalho”. “Vamos deixar de ser o país que não sabe o que anda a fazer”, disse.

O Presidente dos EUA referiu ainda que “foi uma conversa amistosa” e que os novos acordos comerciais “vão ser positivos para os dois países”.

Também o gabinete de Peña Nieto, em comunicado, corroborou a ideia de que os dois chefes de Estado tiveram uma “conversa construtiva e produtiva” sobre a relação bilateral, que incluiu o acordo comercial entre os EUA e o México, escreve o “The Washington Post”.

O gabinete mexicano salientou ainda que a conversa focou a importância da “amizade” entre os dois países, bem como a “necessidade de trabalharem em conjunto para travarem o tráfico de drogas e de armas”.

No que toca à questão do muro que Trump quer construir na fronteira entre os EUA e o México, ambas as partes reconheceram que têm opiniões distintas sobre o assunto, mas que concordaram em “resolver as suas diferenças”. O comunicado mexicano referia ainda que “ambos os Presidentes concordaram em não falar mais publicamente, por agora, sobre este tema controverso”.

Esta conversa telefónica acontece um dia depois de Enrique Peña Nieto ter cancelado o seu encontro com Donald Trump e do Presidente dos EUA ter anunciado um imposto de 20 por centro sobre os produtos mexicanos importados, como solução para fazer o México pagar o muro.

[ Notícia atualizada às 19h56 ]