Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

População da Alemanha atinge número recorde graças à imigração

Carsten Koall/GETTY

Apesar do número das mortes ser superior ao dos nascimentos no país, a população residente na Alemanha atingiu os 82,8 milhões

A Alemanha terminou 2016 com uma população residente de 82,8 milhões de pessoas, um novo recorde obtido sobretudo à imigração, segundo indicam os dados oficiais revelados esta sexta-feira.

O número representa um aumento de 600 mil pessoas comparativamente ao registado em 31 de dezembro de 2015, quando se situava nos 82,2 milhões.

O Instituto Federal de Estatística alemão indicou também que o anterior recorde ,de 82,5 milhões, fora registado em 2002.

Os fracos indicies de natalidade estariam a contribuir para a diminuição e envelhecimento da população, mas essa tendência surge invertida graças à larga entrada de imigrantes.

Em 2016, pelo menos 750 mil pessoas entraram no país, enquanto o número de mortes foi superior ao dos nascimentos entre 150 mil e 190 mil.

O instituto referiu que as estimativas são um pouco menos precisas do que as de anos anteriores, devido a mudanças no modo como as estatísticas foram efetuadas.

O Ministério das Finanças alemão indicou, também nesta sexta-feira, que no ano passado gastaram 21,7 mil milhões de euros no apoio aos refugiados

Portugal também conta com um número de mortes superior à dos nascimentos, mas essa tendência não é compensada pela imigração, tendo-se registado aliás nos últimos anos a tendência contrária, com o aumento da emigração.

Em 2015, o país contava com uma população residente de 10 557 mil pessoas, quando em 2011 registava 10 358 mil. Em 2015, registaram-se mais cerca de 23 mil óbitos do que nascimentos e o número de saídas de residentes do país superou em 10,5 mil os das entradas, segundo os dados apresentados pela Pordata.