Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Retirados últimos corpos no hotel soterrado: 29 mortos no total

REUTERS

Hotel de uma estância de esqui no centro de Itália foi atingido por uma avalanche com 120 toneladas de peso a uma velocidade de 100 quilómetros por hora, há mais de uma semana

A recolha dos corpos de um homem e de uma mulher, na noite desta quarta-feira, fez subir para 29 o número de mortes confirmadas no Hotel Rigopiano, no centro de Itália, atingido por uma avalanche no passado dia 18. Este deverá ser o saldo final de vítimas mortais, uma vez que já foram descobertos todos aqueles que se sabia encontrarem-se no interior do edifício de três andares quando foi atingido pela avalanche.

Onze pessoas sobreviveram, duas das quais estavam no exterior do hotel e conseguiram escapar ao avanço da neve. As restantes foram posteriormente resgatadas do interior do edifício soterrado.

A avalanche, com cerca de 120 mil toneladas de peso, atingiu o hotel de quatro estrelas de uma estância de esqui a uma velocidade aproximada de 100 quilómetros por hora

Os exames a seis dos corpos já autopsiados mostram que a maioria morreu pelo trauma físico devido ao colapso da estrutura do edifício, mas outras vítimas mostraram sinais de hipotermia e asfixia.

Falando quarta-feira perante o Parlamento, o primeiro-ministro Paulo Gentiloni reconheceu que as autoridades locais não deram a devida atenção aos primeiros alertas quanto à avalanche – alguns dados apontam para que o autarca de Pescara tenha inicialmente desvalorizado as chamadas efetuadas pelos dois sobreviventes que se encontravam no exterior do hotel –, frisando que uma investigação criminal está em curso, mas acrescentando que não é o momento de se encontrar bodes-expiatórios para a tragédia.

Os membros da equipa de regate só conseguirem chegar ao local muitas horas depois da avalanche, primeiro por esqui e posteriormente através de helicópteros, pois as estradas de acesso ao hotel estavam bloqueadas pela neve. Factor que contribuiu, aliás, para que os hóspedes tivessem permanecido no hotel antes da avalanche, ocorrida em sequência dos fortes sismos registados horas antes naquela zona do centro do país.