Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente do Eurogrupo critica hipótese de Reino Unido se converter em paraíso fiscal

SAUL LOEB/AFP/Getty Images

Jeroen Dijsselbloem teceu comentários negativos às afirmações de Theresa May, que advertiu para a possibilidade de o Reino Unido se tornar um paraíso fiscal a seguir ao Brexit, se não conseguir um acordo favorável com a UE

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, afirmou esta terça-feira que transformar o Reino Unido em paraíso fiscal após a saída da União Europeia (UE) "seria prejudicial" para as duas partes.

"Isso iria prejudicar a economia da UE, mas também seria muito mau para a Inglaterra, para a Grã-Bretanha, ficar como uma espécie de paraíso fiscal nas margens da Europa", afirmou Dijsselbloem em declarações ao canal televisivo holandês RTL-Z.

Na semana passada, a primeira-ministra britânica, Theresa May, ameaçou que o Reino Unido poderia "mudar as bases do modelo económico britânico" e baixar os impostos para atrair grandes empresas e investidores de todo o mundo, tornando-se um paraíso fiscal, se não for obtido o acordo comercial que deseja com a UE no âmbito do Brexit, a saída do país do bloco europeu.

"Penso que no clima atual, temos trabalhado bem com os britânicos no combate à evasão fiscal, e quando esse processo ainda está em curso, seria um passo atrás completamente louco", considerou Dijsselbloem.

O presidente do Eurogrupo, que é também ministro das Finanças holandês, disse que está em negociações com vários bancos britânicos, mas também "norte-americanos e asiáticos que têm investimentos em Londres" e que ponderam mudar-se para outros países europeus, como a Holanda, apesar das regras mais estritas em relação aos bónus dos executivos.