Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Papa apela aos media para que evitem “centrar-se nas más notícias”

Franco Origlia / Getty Images

É preciso “quebrar o círculo vicioso da angústia e travar a espiral do medo”, afirmou o chefe da Igreja Católica

O Papa Francisco pediu esta terça-feira aos meios de comunicação que evitem “centrar-se nas más notícias” e criem uma nova forma de comunicar para mostrar “as possíveis soluções”.

Esta é a mensagem de Jorge Bergoglio para o Dia das Comunicações Sociais, que a Igreja Católica assinala a 28 de maio. A mensagem foi divulgada esta terça-feira, no dia dedicado a São Francisco de Sales, patrono dos comunicadores.

O Papa convida quem trabalha no mundo da comunicação que o faça de maneira “construtiva, recusando os preconceitos contra os outros”, para “fomentar uma cultura de encontro que ajude a ver a realidade com verdadeira confiança”.

É preciso “quebrar o círculo vicioso da angústia e travar a espiral do medo, fruto desse costume de se centrarem nas 'más notícias' (guerras, terrorismo, escândalos e qualquer tipos de frustração na vida humana)”, afirma.

Este apelo não pretende “favorecer uma desinformação na qual se ignore o drama do sofrimento, nem de cair num otimismo ingénuo que não se deixa afetar pelo escândalo do mal”, sublinha.

O Papa lamenta também que “para uma notícia ser boa tem de causar impacto” e critica que se faça “um espetáculo do drama da dor e do mistério do mal”.

Francisco propõe “a procura de um estilo comunicativo aberto e criativo, que não dê todo o protagonismo ao mal, mas que trate de mostrar as possíveis soluções, favorecendo uma atitude ativa e responsável nas pessoas às quais é dirigida a notícia”.